29/04/2020 — Texto: Lara Savana | Fotos: do mal o menos

O projeto de reforma teve um conceito bastante contemporâneo, contrapondo-se à estética original do apartamento, introduzindo uma nova organização e dimensão espacial, assim como novos materiais

Assinado pelo escritório Atelier 106, o projeto baseou-se na criação de uma linha marcante no pavimento, através da diferença de cores e texturas que se prolongou para os elementos que compõem a cozinha.

O apartamento era caracterizado pela estrutura em tabique, tetos trabalhados, azulejos e pavimentos originais. O foco do projeto incidiu sobretudo na cozinha, apesar do apartamento ter sido todo pintado, portas e portadas recuperadas, assim como o pavimento.

A cozinha apresentava uma organização com uma bancada de parede a parede, um fogão de dimensão generosa situado logo abaixo da chaminé, na parede oposta, e um frigorífico solto entre estas duas zonas de confecção, sendo que no meio se encontrava uma mesa de refeições.

Ainda na cozinha, foram utilizados dois cerâmicos com cores e texturas diferentes, marcando a largura da chaminé e forno/fogão existentes, prolongando-se até à parede oposta. Nesta linha e no meio da cozinha, surge uma ilha em “corian”, zona de confecção e zona de refeição, com duas prateleiras em ferro preto suspensas por cima.

Na parede perpendicular situam-se os armários altos com frigorífico, adega, micro-ondas e armários despenseiros. Junto às janelas, na mais próxima à chaminé surge um banco em madeira que contém arrumação, sendo que a parede entre as duas janelas possui um nicho, também em madeira, para arrumação.

A iluminação é feita através de uma calha preta com projetores e uma régua de luz vertical junto aos armários altos, conjugada com apliques pontuais.

Para saber mais, acesse: www.atelier106.pt