Texto: Sandro Prezotto | Fotos: Elson Yabiku

Um espaço comercial com ambiente familiar. Uma casa onde as pessoas desfrutem o prazer de estar, bebericar, saborear alguns petiscos e socializar com estilo e qualidade. No projeto da loja Beer Caps, a arquiteta Branca Vieira foi além da arquitetura.

“O trabalho não se limitou somente ao ambiente. Procuramos pensar em tudo: na música que tocaria, a mensagem que o cardápio e suas porções de aperitivos passariam… Enfim, foi um trabalho em conjunto, em que o conceito da loja pode ser facilmente reconhecido pelos detalhes, carinhosamente planejados com o objetivo de proporcionar bem-estar e fidelizar os frequentadores em num espaço simpático e aconchegante”, declarou Branca.

Segundo ela, o principal desejo do proprietário era de valorizar o prazer do cliente em vivenciar as experiências do paladar em seu empório, sair do convencional dos bares e restaurantes e explorar a liberdade na decoração. “Nosso maior desafio foi equilibrar o conceito de loja com o clima de bistrô francês, sem cair na definição de bar”.

O estilo adotado é uma mescla dessa referência aos bistrôs franceses e empórios italianos, aliada à jovialidade brasileira com um toque cosmopolita.

“No térreo, criamos um balcão de atendimento com uma imponente trave de chopp e a loja, com os expositores para os produtos. O escritório e toaletes foram acomodados no pavimento superior, que futuramente também contará com peças de design para serem comercializadas”.

Como as cervejas artesanais devem ser armazenadas em ambiente apropriado, a loja conta com climatização com ar refrigerado nas temperaturas ideais para garantir a qualidade dos produtos. “A marcenaria foi elaborada com desenhos exclusivos para valorizar cada rótulo oferecido. A escolha da madeira rústica nas estantes, detalhes em ladrilho e cobogós no mobiliário conquistam a simpatia dos visitantes e enaltecem os produtos expostos”. Para o acabamento, foram escolhidos revestimento práticos e com visual marcante, como fórmica, pastilhas, cimentícios e blocos cerâmicos, nos cobogós. “Nos banheiros, optamos pelo papel de parede, que pode ser trocado quando for conveniente”.

Branca também destaca que a iluminação teve grande importância no projeto, pois ela é responsável por tornar o ambiente ainda mais acolhedor. “Trabalhamos com iluminação cênica, com destaque para os pendentes que valorizam o balcão e as luminárias feitas com garrafas de cervejas, destacando o aparador na entrada da loja”. A fachada ganhou identidade com a utilização de tons escuros nas paredes, arandelas com estilo colonial e um deck feito com cruzetas rústicas. “Para destacar o logotipo, projetamos um brise em ferro pintado, onde foi instalado o luminoso central”. A arquiteta conta que aproveitou a beleza natural e a sombra fresca de uma simpática árvore, já existente na calçada, para adequação do deck de madeira, onde os clientes se acomodam para degustar as mais variadas cervejas oferecidas pela casa. No paisagismo, capim verde e capim do texas dão charme e movimento ao jardim.