22/01/2021 — Texto: Barbara Jahn-Rösel | Fotos: Alex Filz

Um resgate às casas na árvore, projeto promove a imersão dos hóspedes no parque e nas montanhas de Siusi allo Sciliar, Sul de Tyrol, Itália

Quando a arquitetura assume a vibração e a rica diversidade da natureza, ela nunca será percebida como estranha. Como parte de um projeto hoteleiro especial, o escritório noa* incorporou recursos que vão evocar memórias, sonhos e talvez um toque de aventura em cada hóspede, um resgate às casas na árvore.




Por muitos anos, os quartos acolhedores do Parc Hotel Florian, situado no sopé da vila de Siusi allo Sciliar, ao Sul de Tyrol (Itália), têm proporcionado férias perfeitas o ano todo. Uma característica única desta propriedade é o magnífico parque, onde você está incentivado a permanecer entre árvores antigas, um lago idílico e uma piscina descoberta. O complexo foi recentemente expandido com dez novas suítes em um conjunto independente, que se conecta à estrutura existente, proporcionando uma sensação de continuidade e uma nova perspectiva com uma linguagem arquitetônica distinta.

Os arquitetos Noa* foram contratados para aprimorar o design do hotel, o que significava confrontar uma situação bastante complexa. Por um lado, o orgulho do hotel, seu único e amplo terreno, deveria ser preservado de maneira otimizada. Por outro lado, os arredores do hotel, com residência unifamiliar adjacente, estacionamento e o próprio hotel, produziria um canteiro de obras que exigia muito tato e sensibilidade: o desafio perfeito para noa*.

Tornando-se parte dele

No início, a ideia era separar o prédio com as novas suítes do prédio original para deixar o terreno intocado e ocupar o mínimo de espaço possível. Uma construção ao nível do solo resultaria na perda de uma parte da visão do parque. Mas a ideia não era apenas uma fileira de salas de porta em porta, mas sim um agrupamento ordenado de casas na árvore íntimas e independentes, elevadas em suportes de três metros de altura, liberando a visão para todo o entorno. Ao mesmo tempo, havia um desejo crescente não só para acomodar os hóspedes nas novas suítes do parque, mas para permitir que eles façam parte dele. Durante o processo de design, o parque se tornou o tema central da arquitetura, no intuito de embutir o prédio na natureza, como se sempre tivesse estado lá.

A ideia de ‘casas na árvore’ começou a tomar forma: no final da passarela que forma a espinha dorsal do novo empreendimento é a estrutura de dois andares contendo as suítes, com cinco quartos em cada andar, todos com vista para o parque. Para tornar o conjunto arquitetônico ainda mais dinâmico, os quartos estão localizados um sobre o outro, em um leve ângulo, criando a impressão de uma estrutura natural e crescida enquanto preserva as visualizações. Os hóspedes têm a sensação de estarem abrigados em suas próprias casinhas. Apesar desta abertura arquitetônica, a aparência de todo o edifício é preservada, uma vez que se aninha na paisagem do parque. Este é ancorado por uma fachada em madeira cinza, que confere um grau de tranquilidade uniforme ao único aglomerado de casas na árvore.

Fusão suave

As novas “Floris Green Suites” são tão espetaculares por dentro quanto por fora. As áreas de estar, quarto e banheiro foram reinventadas de uma forma incomum. A sala de estar central abre para uma varanda com vista para a magnífica montanha, benefício também proporcionado pelo quarto envidraçado. Tudo é confluente: quartos, funcionalidade, exterior e interior. Apenas o vaso sanitário e o bidê foram projetados como uma unidade independente. Uma penteadeira com espelho, que também pode ser usada como console, fornece um ponto central. É aqui que a área do banheiro se funde com a sala de estar, que foi maravilhosamente projetada com móveis híbridos. O espaço mais íntimo área está localizado na extremidade da suíte, onde a entrada é: um chuveiro aberto é elegantemente ladeado de um lado pelo vaso sanitário e bidê, e do outro por uma pequena sauna finlandesa privada, que os hóspedes podem usar quando desejarem. Além da magnífica vista, há outro destaque que torna a estadia na Suíte Verde irresistível: um pátio aberto com uma banheira de hidromassagem ao ar livre, que complementa a oferta da sauna em uma forma excepcionalmente atraente.

A decoração interior é projetada em torno de um verde suave intercalado com tons de cinza, próprio de ambientes de casas na árvore. No mesmo conceito estão as capas de tecido, ladrilhos e superfícies pintadas, que ajudam a fundir dentro e fora. O piso em carvalho fumado, acessórios e peças de banheiro em preto misturam-se harmoniosamente.

Tornando-se Um

Horizontes expansivos, abertura casual e liberdade pessoal são os tons que definem este projeto, em todos os sentidos. O pátio oferece um retiro privado, assim como a área do terraço externo, que é delimitada por aberturas através das quais novas árvores altas crescem e onde você pode afundar e relaxar em uma rede. Vasos nas varandas e terraços realçam o ambiente natural.

O conceito de cor interior coerente, a consistência de toques arquitetônicos como o domo das suítes revestidos de madeira de lariço, e as discretas, porém, deliberadas irregularidades das casas na árvore aumentam a satisfação da estadia dos hóspedes do Florian Hotel. O entusiasmo dos arquitetos é palpável em cada detalhe e encontrará sua ressonância nos visitantes que, apesar da nova estrutura, poderão aproveitar ao máximo o parque, que foi o princípio norteador deste projeto desde o início.

Para reservas, entre no site www.floris.hotelflorian.it

Para conhecer mais projetos do noa*, acesse www.noa.network