28/07/2018 — Texto: Divulgação | Fotos: Salvador Cordaro

A Artefacto de Goiânia apresenta a Mostra Artefacto Decor+Cinema com 14 ambientes.

Com o tema Decor+Cinema, a capital de Goiás recebe a Mostra Artefacto Decor+Cinema que percorre Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo (Haddock Lobo e D&D Shopping), nas lojas da marca, com diferentes ambientes inspirados em grandes filmes. São quatorze espaços produzidos e assinados por renomados arquitetos e designers de interiores.

A edição 2018 da Mostra Artefacto Goiânia traz grandes clássicos do cinema mundial, entre eles Passageiros, A 100 Passos de um Sonho, Coco Antes de Chanel, La La Land, O Poderoso Chefão, Dogville, O Grande Gatsby, Sonhos, Match Point, Sex and the City 2, Cinquenta Tons de Cinza, A Origem, O Grande Hotel Budapeste e Comer, Rezar, Amar. Confira os ambientes:

Passageiros — Ana Paula Castro e Sanderson Porto

“Nós buscamos criar um espaço confortável, além de sofisticado, reunindo mobiliário funcional e objetos exclusivos”, dizem os profissionais sobre o projeto 56 m² embasado nas referências do filme ‘Passageiros’. “As cenas mostram ambientes bem sofisticados como o bar e o quarto do protagonista”, comentam. Assim, a partir do dormitório do protagonista interpretado por Chris Patt e do bar da nave, pautaram sua ideia de requinte em elementos como a escolha de materiais e cores e a utilização de móveis feito a belíssima poltrona Pipo e o curvilíneo sofá Argand. Outro ponto de referência, segundo eles, foi uma parede preta com detalhes dourados em uma cena no bar, o que reproduziram no ambiente com a ajuda de um painel preto fosco recortado com perfis igualmente em tons de ouro.

A 100 Passos de um Sonho — Dalson Pereira

O arquiteto e urbanista Dalson Pereira conceituou um espaço inspirado no roteiro do ‘A 100 Passos de um Sonho’. “A sobriedade do filme associada ao amor em tudo o que se faz é um dos motivos para a escolha da obra”, comenta. A varanda gourmet de 32 m² ganhou jardim e um pequeno estar conceituado em cores neutras onde a rusticidade se contrapõe às peças de shapes mais contemporâneos. Para valorizar a ambientação e deixar a convivência no espaço ainda mais confortável, o profissional apostou na versatilidade do mobiliário da Artefacto de forma a agregar. “As cadeiras Twister são as estrelas”, complementa. A área que ainda ganhou tempero de masterchef com as poltronas Brasília, os puffs Nick e Artic II, a mesa lateral Mali e a geométrica coluna de jantar Rio.

Coco Antes de Chanel — Doriselma Mariotto

“Gosto de elementos atemporais e Chanel foi um ícone de elegância e bom gosto”, diz a designer Doriselma Mariotto sobre a escolha da chiquérrima película ‘Coco Antes de Chanel’ como homenageada para o espaço, com base em que exerceu um trabalho no qual repete o costume de elaborar projetos que aliem estética e função. Aqui, para o ambiente de 68 m² que abarca quarto e salas de estar e jantar, optou pelo duo de representação máxima e instantânea da estilista francesa: o queridinho P&B em uma paginação elegante e atemporal. Para reforçar e enriquecer a argumentação do espaço, contou com o auxílio da elegância de modelos como o curvilíneo sofá Jean, da mesa de centro Mai, e das cadeiras Byron.

La La Land — Karla e Eduardo Bittar

Os irmãos Karla e Eduardo Bittar projetaram um living baseado nos atributos de um aclamado musical. “Amamos ‘La La Land’ por ser um filme ingênuo, alegre, bonito, composto por uma efervescente fantasia, uma comédia romântica com tocante autenticidade. É uma película inspiradora que mostra a poesia que há na cidade, habitada por pessoas com sonhos que buscam torná-los realidade”, acreditam. “De certa maneira, nos identificamos com isso, pois nos vemos sonhadores buscando realizar os desejos”. A estima foi traduzida por meio de uma paleta de cores composta por verde, azul, vermelho e amarelo inspirada na iluminação exagerada e não natural da produção, aplicada nos tecidos e vista no neon alocado na parede com a frase “are you shining just for me?”, parte da música “City Of Stars”, da trilha sonora. No espaço de 56 m² a dupla depositou modelos como os sofás Memory e Jean e as poltronas Ricci, Belgravia e Lounger, que fazem uma releitura de uma estética mais vintage de mobiliário.

O Poderoso Chefão — Kerley Melo

O ambiente de 28 m² da arquiteta Kerley Melo foi inspirado em nada mais, nada menos, do que no supremo clássico cinematográfico sobre a máfia italiana: as referências de ‘O Poderoso Chefão’ – obra que a profissional assiste desde criança com o pai – foram aplicadas no home theater, por exemplo, por meio das cortinas de veludo e de revestimentos mais escuros alusivos à década de 1940 em que se passa a narrativa. Neste cenário, destacam-se modelos que evocam a ideia da composição, como o sofá Akans II e o layout das mesas de chá Piaget II e Hanna II e as laterais Vulcan e Catalan.

Dogville — Leo Romano

O arquiteto Leo Romano se apropriou do roteiro de ‘Dogville’ para compor o ambiente na mostra. “O conceito foi inspirado numa memória minha do filme”, explica Leo. “Não quis assistir ao filme novamente. À época do lançamento eu era adolescente, algo em torno dos 13, 14 anos. Uma coisa de que me lembro bastante foi uma marcação da cidade através de linhas que eram feitas no piso. E, coincidentemente, esse tipo de recurso especial é um efeito que eu uso muito nos meus projetos que são mais cênicos, como mostras de decoração em geral”, explica. A vitrine leva traçados espaciais feitos com tarugos, madeiras pintadas penduradas no teto, que fazem linhas horizontais, perpendiculares e verticais no espaço com uma certa volumetria na ambientação. “No roteiro, o cenário era quase todo preto e o meu é muito claro e valoriza o mobiliário da Artefacto como as poltronas Stay, os aparadores Constantin e a sequência de estantes Tournai”, finaliza.

O Grande Gatsby — Lígia Barros

A riqueza dos deslumbrantes cenários em que se reconstruiu a abastada atmosfera da elite estadunidense dos anos 1920 de ‘O Grande Gatsby’ foi em que apostou Lígia Barros para seu ambiente. “O cenário Art Déco é clássico e elegante e, embora tenha uma decoração luxuosa, apresenta elementos clean e muito bem combinados”, diz a profissional. A arquiteta elaborou para os 27 m² do quarto uma ambientação inspirada na sala de estar da personagem Daisy Buchanan sustentada sobre o tom Millennial Pink nas paredes laterais, no rodapé e no forro e com materiais semelhantes aos da película, feito o veludo, mas com um espírito mais contemporâneo. Em destaque sobressaem o painel atrás da cama Tribeca, revestido em material com textura dourada e duas faixas laterais em linho verde esmeralda, assim como as poltronas Poline; e a lareira em mármore Carrara, que resgata os costumes das primeiras décadas do século 20.

Sonhos — Maurem Françoise

A designer de interiores Maurem Françoise optou por desdobrar a tônica abordada em ‘Sonhos’, série de curta metragens de autoria de Akira Kurosawa, em um loft de 54 m². “Foi um filme que me marcou. A imagem é belíssima, a temática é profunda”, justifica a profissional. “Nos faz sonhar, querer realizar e assimilar coisas belas. Deixa uma mensagem de que precisamos buscar as coisas mais essenciais para a vida”. Para começar, desenhou um layout totalmente oriental, marcado por divisórias que se revezam entre velar e revelar os espaços. O cenário monocromático é pontuado pela luz e pelo silêncio e preenchido pelo som de passarinhos, que remetem à natureza presente em todos os oito episódios da produção. A flor do pessegueiro, por sua vez, aparece nos bordados nos bancos e em pinturas nas telas, e utensílios funcionais da cultura japonesa complementam a composição do ambiente. Distribuído em quarto, living, jantar e cozinha, o recinto acomoda uma seleção de móveis com linhas suaves e acabamentos e cores naturais feito as poltronas Phili e as cadeiras Mila.

Match Point — Mezzo Arquitetura

O cult ‘Match Point’, dirigido por Woody Allen, serviu para inspirar o espaço dos arquitetos Adriana Mundim e Fernando Galvão. “A trama nos atraiu pela atmosfera que envolve Londres e sua elegância própria, pelo valor às artes, e, principalmente, pelo contraste entre o belíssimo apartamento do casal, em oposição à tradicional mansão da família da personagem”, revelam. Em um único bloco estão as salas de estar e jantar onde os arquitetos tiveram a preocupação de escolher peças marcantes do mobiliário Artefacto sem que elas ofuscassem umas às outras. “Temos trabalhos expressivos como a madona de Siron Franco e a fotografia com arte aplicada a quatro mãos de Rogério Mesquita. O módulo Austral II afastado da parede com molduras boiserie, numa linha mais contemporânea, deixa espaço para as obras de arte ficarem mais distintas do mobiliário, tal como numa galeria”, arremata a dupla.

Sex and the City 2 — Nando Nunes

A irreverência e a sofisticação exaladas em ‘Sex in the City 2’ foi o que fisgou o arquiteto Nando Nunes para projetar seu ambiente. No banheiro de 18 m² que levam sua assinatura, o que mais chama a atenção, segundo Nando, é a simetria do projeto em consonância com a nobreza da pedra de travertino e da paleta de cores. Junto às linhas finas e delicadas dos acabamentos, acertadas na geometria concisa, figuram os cheio de charme buffet Kainz, puff Prada e mesa componível Nidus.

Cinquenta Tons de Cinza — Pedro Ernesto Gualberto e Leandra Castro

O que pautou a orientação do living de 44 m² dos profissionais Pedro Ernesto e Leandra Castro foi a já sabida escolha pelos tecidos e pelas variações de cinza, uma relação assumida e direta ao apimentado ‘Cinquenta Tons de Cinza’ que acabou por produzir uma paginação mais sóbria de ambiente reforçada quando observada junto às linhas concisas e assertivas das geometrias. Ao longo da sala de jantar e de estar que estruturam o espaço, Pedro e Leandra dispuseram com harmonia e charme exemplares como a mesa de jantar Lake, as cadeiras Giorgio e o sofá Lenon.

Comer, Rezar, Amar — Sonia Prado

A designer Sonia Prado encontrou no simbolismo de ‘Comer, Rezar, Amar’ a mensagem ideal para seu ambiente: “Para estarmos inteiros, precisamos que esteja em equilíbrio o tripé corpo, espírito e mente. É exatamente o que o filme retrata de forma clara e corajosa”. O espaço generoso do jantar buscou remeter ao período “comer”; o estar faz referência ao momento de meditação e de “reza”; enquanto ao “amar” cabe o aconchego do quarto. A experiência, como explica a profissional, foi reproduzida por meio de texturas, obras de arte, iluminação e cores alocados em 76 m² em que se destacam peças como as poltronas Petrer, que compõem as cabeceiras da mesa de jantar.

A Origem — Valéria Oliveira

Para o um espaço de 29 m² a Valéria Oliveira se inspirou no filme ‘A Origem’ em que um quarto é estruturado a partir da ideia “do tempo perdido que não tem como voltar e de entrar nos sonhos das pessoas ou criar um novo sonho para elas”, conforme acredita a profissional. O espaço, “onde tudo é possível”, Valéria pensou como um ambiente em que as paredes se projetam em todos os lados destacando a cor branca, que prevalece com fluidez, mas com liberdade para também valorizar o azul, de caráter pronunciado nos detalhes. Para ilustrar esse ideal, elegeu majoritariamente modelos curvilíneos feito a bojuda cabeceira Monviso, o sofá e o puff Illi e o criado Berge, responsáveis por conferir à produção conforto e elegância.

O Grande Hotel Budapeste — Viviane Melo

Para o espaço na mostra, a arquiteta Viviane Melo almejou uma obra leve, interessante e que fugisse do óbvio. “Encontrei no trabalho de Wes Anderson tudo o que procurava”, conta. “No filme, o diretor usou com muita expertise ambientes visuais ornamentados para explorar ideias profundamente emocionais”, o que Viviane tomou como partido para criar um living de 37 m². A escolha e distribuição de peças como os sofás Antique e as poltronas Library fazem com que o layout propicie encontros e conversas entre pequenos grupos. “A intenção foi criar uma sala que dá a agradável sensação de ser bem recebido, de estar em um lugar elegante e, ao mesmo tempo, acolhedor”.

Serviço:

Mostra Artefacto Decor+Cinema
Local: Artefacto Goiânia
Endereço: Av. 136, 290 | St. Marista | Goiânia | GO
www.artefacto.com.br