30/08/2019 — Texto: Duetto Comunicação 

A mostra recria uma casa de família, apresentando 28 espaços sob medida para pais e filhos conviverem com criatividade e em total harmonia

Entre os dias 31 de agosto e 13 de outubro, acontece a primeira “Casa NaToca” em São Paulo, ocupando uma construção dos anos 50, com cerca de 500m², no coração do Jardim Paulista, a poucos passos do Parque Ibirapuera. Para apresentar tendências e trazer o que há de mais criativo e surpreendente no universo do design e decoração infantil, a mostra reúne mais de 100 profissionais – de arquitetos a artesãos – que desenvolveram o conceito “Botânico” em 28 ambientes como salas, loft do casal, cozinha, quartos, bistrô, lojinha e jardins.

Idealizada pelas cariocas Simone Raitzik e Isabela Caban – ambas jornalistas e criadoras da revista online NaTocadesign – a designer Cris Barretto e a produtora Bruna Levinson, a “CASA NaTOCA, edição Botânica” chega a São Paulo, após duas edições de sucesso no Rio de Janeiro, com o convite para que pais e filhos conheçam ambientes onde a natureza está presente de forma contundente. A proposta foi privilegiar texturas naturais, vegetação farta e elementos que remetem a uma vida mais livre, ainda que dentro de uma cidade tão cosmopolita como a capital paulista. Tudo embalado por uma curadoria que apresenta soluções originais e exclusivas – garimpada entre ateliês e marcas de todo o Brasil.

Envolta em jardins, como um verdadeiro lar, a mostra manteve o estilo original do imóvel, preservando elementos como paredes moldadas em tijolos maciços e esquadrias de pinho de riga nas janelas, além do piso de tábuas de peroba do campo. O local também será palco para uma agenda de encontros como talks, oficinas e atividades para envolver (e encantar) pais e filhos.

“Nossa ideia é apresentar uma típica casa de família, gostosa e aconchegante. Um espaço fluido e harmônico. Buscamos incentivar que os profissionais privilegiem um tom simples, com destaque para o artesanal e as texturas naturais. A natureza é a grande estrela dessa edição e toma conta do lado de fora, como o quintal e a fachada, e também invade a casa estampando papéis de parede, quadros e intervenções artísticas”, diz Simone.

Fachada verde

Gui Nicoletti + Paula Carvalho (arquitetos) + Concepdual iluminação + Pat Lobo Ilustração

A fachada da casa se estende por cerca de 50m, desenhando uma esquina cercada de jardins, sem muros e exposta para o entorno. No projeto dos arquitetos Gui Nicoletti e Paula Carvalho, a inspiração foi trazer para a rua o aconchego de um quintal caseiro, com uma natureza próxima – aquela que todos podem cuidar e cultivar, como uma praça pública. Para dar movimento, a ilustradora Pat Lobo desenvolveu diferentes lambe-lambes com desenhos botânicos, que foram aplicados como uma estampa à superfície de tijolos maciços da fachada.

O projeto de iluminação, assinado por Diana Joels e Paula Canelós (Concepdual), se inspira em imagens de um conto infantil (“João e Maria”), trabalhando a luz tanto nos planos verticais quanto nas calçadas, unindo os projetos de arquitetura, paisagismo e arte gráfica. Com um conceito lúdico, remete aos ciclos da natureza e às delicadas surpresas das descobertas infantis. Há movimento e interatividade, como uma brincadeira repleta de luz e cor.

Paisagismo e Horta Urbana

Gabriela Pillegi (Jardineiro Fiel) + Clariça Lima paisagismo

Ressaltando o conceito botânico dentro do universo infantil, o paisagismo da fachada foi inserido de uma forma lúdica, provocando e estimulando os sentidos dos pequenos no contato com a natureza. Para isso, as profissionais Gabriela Pillegi (Jardineiro Fiel) e Clariça Lima apostaram nas árvores frutíferas, no aroma dos temperos da horta e em plantas que podem ser facilmente cultivadas por crianças de todas as idades. Os canteiros ficam em plena rua, como uma mini praça e resgatam ainda a memória afetiva de colher seu próprio fruto e a delícia de brincar livre, no quintal de casa.

Hall de entrada / Bilheteria

Isabela Scaff e Maria Gabriela Azevedo + Clariça Lima (paisagismo)

Idealizado pelas arquitetas Isabela Scaff e Maria Gabriela Azevedo, o hall de entrada tem 15m² e pé direito duplo, aberto para os dois andares da casa. Recebe os visitantes como uma instalação artística, unindo o lúdico ao botânico, e privilegiando um estilo rústico, como as cordas que entrelaçam o guarda-corpo original, de ferro. A ambientação mimetiza o mobiliário (mesa, cadeira e um canto de leitura, com uns charmosos futon) entre plantas e flores, e faz uso de um tapete que imita grama, como um jardim interno. Destaque para a bicicleta vintage e o pendente vivo, de kokedama, que traz a natureza para dentro da casa. Na parede, um papel que lembra a pintura de uma floresta.

Sala da Família

Leila Bittencourt (Oba! Arquitetura)

A arquiteta Leila Bittencourt se inspirou numa família moderna (como a sua própria), que aprecia um espaço múltiplo, curinga, sob medida para conviver, relaxar e receber amigos. Um lugar de encontros, onde as crianças são bem-vindas e podem brincar à vontade. Além de muitos elementos naturais, como cachepôs de plantas, há um canto de escritório e uma casinha suspensa como um mezanino (aproveitando o pé direito alto), com direito a um balanço (Cocoon) para o bebê participar da farra. O papel de parede, da Oba!, tem inspiração botânica e se junta a várias referências de estampas artísticas que, espalhadas pelo ambiente como “quadros”, imprimem um clima de atelier. Entre os móveis, destaque para a mesa de centro, baixinha, desenho de Leila, com compartimentos sob medida para guardar brinquedos. Há ainda uma poltrona vintage, assinada pela designer brasileira Aida Boal, verdadeira relíquia que Leila garimpou. Uma das paredes traz ainda um grande painel interativo, reafirmando que o ambiente social da casa deve ser usado (e curtido) por todos: pais e filhos.

Sala de Leitura

Hana Lerner Rosalen + Mooui + Fustta

A sala de leitura ganha forma nas mãos de três mulheres: a arquiteta Hana Lerner Rosalen, Thais Carballal (Mooui) e Marta Pruns (Fustta). São 13 m2 que remetem ao encanto de antigas e divertidas bibliotecas, com mezanino, passagens secretas – é por aqui o acesso à casinha na árvore do quintal – e uma marcenaria lúdica, que abre portas para soltar a imaginação. A Mooui, marca de decoração infantil sob o comando de Thais, conhecida por seu design exclusivo, alegre e nada convencional, lança aqui a coleção “Contos e Lendas”, presente na estampa do enxoval e nos papéis de parede. A Fustta, em busca de traços cuja simplicidade viesse à tona de maneira elegante, assina a cama-sofá e ainda a coleção de cestos de vime made in Amazônia, transformados em luminárias pendentes. Detalhe: um livro gigante, moldado em folhas de madeira e com página personalizadas por adesivos criados pela Mooui, promete ser pura diversão para pais e filhos!

Casinha na árvore

Lá Na Teka + Atelier Maria Florzinha

A casa da árvore, assinada pela Lá Na Teka, foi construída em madeira maciça, em poucos dias, pela empresa Casa na Árvore. Compacta, com apenas 5m2, tem o interior tingido de branco, com detalhes em fibra natural e se inspira em um estilo Boho, relaxante. O atelier Maria Florzinha completa a brincadeira com suas folhas rústicas, feitas de cordas tingidas, que envolvem a árvore como um cipó, além de uma mandala de tricô, estimulando a imaginação das crianças.  Apelidado de “Lá na Casinha”, o ambiente é acessado por uma passagem secreta, ou seja, pela janela da sala de leitura.

Home office

Studio Adoleta

Homenagem à Teca Toscano – uma mãe influencer que trabalha com terapias holísticas e espiritualidade – o home office de Carolina Vilarino e Simone Lescher Fagundes, do Studio Adoleta, é compacto (11m2) mas com cada cantinho super bem-aproveitado. A marcenaria, assinada pela JM, foi toda desenhada pela dupla e inclui um mezanino, canto zen para meditação e ainda a bancada. Para os pequenos, há espaço para brincadeiras e leitura, reforçando o conceito multifuncional e prático do ambiente. Entre a seleção de objetos, coleção de plantas e elementos com texturas naturais, como pedras, cristais, cordas e galhos. Na parede, pintura artística da Manual Design.

Copa Cozinha

Flavia Lauzana e Ana Cecília Toscano – ACF Arquitetura

Uma pitada vintage, como uma cozinha de avó das mais aconchegantes e convidativas. Com essa ideia na cabeça, a arquiteta Ana Cecília Toscano e a designer de interiores Flávia Lauzana transformaram o ambiente de 20m², no coração da casa, em um espaço literalmente delicioso. Inspiradas na arquitetura original dos anos 50 do imóvel, mantiveram o piso de madeira, as janelas estilo guilhotina e os tijolinhos aparentes. No mais, apostaram em um garimpo de peças artísticas, como os azulejos que forram a parede (desenhados um a um) e as cerâmicas divertidas de Paula Juchem formando uma composição na parede. Na marcenaria, escolheram um tom amarelo ovo para os armários, bem vivo e apetitoso. A bancada central acomoda utensílios e alimentos e ainda funciona como mesa para refeições em família, com direito a muitas plantas e horta de temperos frescos.

Trocador + Banheiro kids

Tatiane Waileman Arquitetura + Rafaela Paoli (Estúdio Pulpo)

Pode parecer impossível montar um banheiro divertido, lúdico e estimulante em apenas 3m2, mas a arquiteta Tatiane Waileman e a designer Rafaela Paoli conseguiram. Como um passe de mágica, a pia para lavar as mãos se transforma em uma engenhoca divertida de canos, que se movimenta com a queda d´água. Ali, o piso verde remete à grama e o clima é de uma fazendinha, com porta “partida”, permitindo que a mãe acompanhe atenta o filho sem precisar entrar no ambiente. Da mesma forma, a escala é pensada para os pequenos, com todos os registros posicionados na sua altura. Já no trocador (Bixitu), em frente, o azul prevalece e a ideia foi trazer a suavidade do céu, com pendente nuvem e, embaixo, um lago relaxante cercado de plantas.

Espaço Montessori

Silvana Martino (Bá Cla Arquitetura Infantil) + Muskinha + Mini Moo

Neutro, simples, e repleto de flores. O espaço Montessori é um verdadeiro  “Jardim Encantado”, e promete transportar as crianças para um mundo de fantasias, onde as plantas literalmente sobem pelas paredes. A ideia é que, com o tempo, as flores (de verdade, claro!) sequem e, assim, os pequenos vivenciem in loco o processo cíclico da natureza. “Queremos fazer uma alusão ao desenvolvimento infantil, onde a criança nasce, floresce e se transforma, porém sua essência permanece a mesma”, revela Silvana, que seguindo a filosofia montessori privilegiou móveis baixos, acessíveis e texturas naturais, sem excesso de cores e estampas.

Lavabo In

Isabela Fraia Arquitetura

A arquiteta Isabela Fraia manteve os tijolos maciços originais e forrou as paredes de ladrilho hidráulico com adesivo em tom cobre. A bancada foi esculpida em granito verde. O teto ganhou uma trama de macramê e está repleto de plantas e bichinhos, como uma rede orgânica e natural. Na parede, árvore de madeira.

Quarto de Bebê

Ana Luiza Mazini Romero (Codecorar Petite) + Linha Bloom + Pilulito

Ana Luiza Mazini, da Codecorar Petite, imaginou o espaço unissex como um “Refúgio na floresta encantada” e desenhou os 10m2 em tons de terra, verde, e recheado de peças moldadas em fibras naturais. Animais da fauna brasileira foram recortados em madeira e salpicam as paredes, assim como se fazem presente nas estampas dos tecidos da Pilulito (cortina e enxoval). O berço Bromélia, em tom de verde seco, tem um design orgânico e é lançamento da Linha Bloom. Todas as peças foram pensadas para que o ambiente acompanhe o crescimento e as atividades dos pequenos durante a primeira infância, com direito a painel de peg board que facilita a mudança de lugar de cestos e prateleiras.

Loft do Casal & filhos

Beatriz Quinelato (BQ Arquitetura) + Beterraba

Urban Jungle, ou floresta urbana, é o conceito do loft do casal da arquiteta Beatriz Quinelato. Repleto de plantas, como um jardim interno exuberante, e tingido de verde e rosa, o espaço reúne o quarto dos pais e o canto dos filhos em generosos 25m2. A cama de ferro preto é a peça principal – com enxoval e almofadas da Nara Maitre kids, que assina também o papel de parede, com estampa delicada, estilo escandinavo – mas tem, ao lado, um bercinho (Bixitu) de fibra natural, suspenso como um balanço. Um teto recortado de fibra cria um clima de cabana na floresta, reforçado pelo uso generoso de objetos de palha pontuando as paredes. Embaixo da escada, o aproveitamento foi completo: ali fica um futon gostoso para o bebê brincar, cercado pelo enxoval da Beterraba, com almofadas que trazem texturas artesanais como crochê e bordados típicos da vovó. Há ainda o espaço de amamentação com poltrona e mesinha lateral – que também pode virar um canto aconchegante de leitura.

Hall da escada 

Mapateca

Um mapa de inspiração botânica (rosa e verde) e outro, de São Paulo, foram feitos sob medida e adesivados no espaço, trazendo um estilo descolado e divertido para o acesso ao segundo piso. A ideia da arquiteta Leila Bittencourt e da designer Amapola Rios, da Mapateca, foi desenhar uma mini sala íntima, onde pais e filhos se reúnem em torno de uma paixão comum: viagens e, claro, mapas.

Quarto de Criança

Izabella Escabeche (Decor Petit) + Miúda Mobília + Mama Loves You

Alice no país das maravilhas é a personagem icônica, mágica, que inspirou Izabella Penna Escabeche, da Decor Petit, a desenvolver o projeto do quarto de criança. Aqui, o tom é atemporal e afetivo, com móveis Miúda Mobília, que resgatam a madeira clara e a palhinha como matérias-primas. Um painel de serralheria forra uma das paredes e traz um bordado em ponto de cruz de grandes proporções, reforçando o toque artesanal, presente em cada detalhe. Papel de parede Mama Loves You recria um clima de floresta, assim como o tapete folha. Há ainda uma seleção de quadros com inspiração botânica, que emolduram folhas e plantas desidratadas em recortes de vidro, como um aconchegante gabinete de curiosidades.

Sala de Convívio

Andrea Chapira (Uebaa Design) + Ateliê Baobá Pitucos + Enamoradas Del Muro

São 10 m2 que resgatam a vontade de estar junto, em família. A sala de convívio, criada pela arquiteta Andrea Chapira, mostra um ambiente que transita entre a área social e íntima, portanto, uma sala para todos: pais e filhos. A ideia foi aproveitar o terraço em frente e fazer uma extensão gostosa, como uma varanda coberta. Colchonetes dobráveis, que também podem ser usados para receber hóspedes, convidam a relaxar. Um balanço de madeira (posicionado entre os ambientes) estabelece esse diálogo. Os pendentes de fibras de coqueiro trazem um clima aconchegante e complementam a iluminação indireta, garantindo uma atmosfera intimista. Além deles, o tema botânico aparece ainda nas diferentes texturas naturais, como a madeira pinus que dá forma às peças do Ateliê Baobá Pitucos ( o balanço e a mesa com cadeirinhas são lançamentos da marca) e na estampa floral do papel de parede, da marca argentina Enamoradas Del Muro.

Varanda

Marina Linhares

Marina Linhares montou uma casa de estrutura metálica e vidro – um charmoso gazebo – explorando a luz natural e se integrando ao paisagismo assinado pelo Gabi Pileggi, do Jardineiro Fiel. Há flores e plantas pontuando o generoso espaço de 39m2, pensado para a família se reunir contemplando o entorno e o horizonte, sem barreiras. No interior, móveis confortáveis estofados com tecidos naturais, como sofás, poltrona e pufe, além de objetos de design, entre luminárias e banquetas. Uma estante de dois metros, em formato de casinha, traz uma coleção de brinquedos decorativos, modernos e vintage.

Brinquedoteca

Julia Varon Ferraz e Isadora Vaz da Silva Sousa (Forma 011) + Adot + Ateliê Materno

A palavra de ordem aqui é diversão. Em uma das paredes, dois arcos foram moldados em gesso e abrigam diferentes atividades: um deles tem a cozinha de madeira do Ateliê Materno; outro traz um nicho “mini”, sob medida para pequenos leitores. Do outro lado, fica um mercadinho natural com muitas plantas e frutas de madeira (Ateliê Materno). O painel de parede “Flora” com estampa de folhagens, da Adot, faz a ligação entre essas duas áreas. Tem ainda mesinha com cadeiras e miniarmário com pegada montessoriana da Cuchi, marca especializada em móveis infantis. E detalhe: recortes de imagens de gatinhos desenham a base de uma das paredes, uma ideia bacana para estampar ambientes infantis.

Ateliê Botânico

Paula Neder e Elise Penedo com o PN+ Coletivo + Atelier Petit Retro

O ateliê segue um conceito high-low, onde itens despojados, simples e comuns são mesclados a peças de design. A natureza ganha espaço em quadros, recortes como decalquers colados nas janelas e, ainda, vasos que lotam as prateleiras, desenhando diferentes texturas naturais. A marcenaria foi pensada para ser acessível aos pequenos, como a mesa redonda – desenho de Paula Neder – cercada de cadeirinhas vintage, garimpadas por Luca Schiler da Petit Retro. O ambiente foi revestido com uma cerâmica quadriculada, tingida em um tom pêssego-terroso e ganhou ainda uma pintura artística (PB), assinada por Ju Amora, na parede de fundo. Por todo lado, almofadas da linha Botânica do atelier Petit Retro trazem aconchego. O piso de ladrilho hidráulico, original da casa, foi mantido.

Quarto dos irmãos

Dani Bastos e Guto Amorim (Grão Arquitetura)

Aqui, a filha, de 5 anos, acaba de ganhar um irmãozinho, e agora divide seu quarto com o novo membro da família. Foi essa a ideia da dupla de arquitetos Dani Bastos e Guto Amorim ao criar esse quarto no segundo andar da casa. Para abrigar a duplinha, uma cama alta em pinus garante a diversão da primogênita, enquanto um bercinho de vime – desenho da Grão, produzido por um artesão mineiro –  traz aconchego para o bebê. A marcenaria inclui ainda um painel recortado a laser que, quando iluminado, projeta sombras florais no teto (iluminação da Concepdual). O papel de parede com estampa suave e delicado é exclusivo: foi desenvolvido por Dani, em parceria com a designer Amapola Rios. Um garimpo primoroso de objetos handmade e peças vintage garantem ainda uma atmosfera repleta de personalidade.

Suíte da Adolescente

Cris Passos + Kub Design + Uauá Baby

Com inspiração no movimento modernista, o quarto pensado para uma adolescente de 14 anos, a Violeta, traz referências à arte de Tarsila do Amaral (na estampa do papel de parede) e apresenta um pouco da diversidade botânica brasileira. Além da coleção de plantas (há vasos e mais vasos de diferentes espécies), a arquiteta Cris Passos caprichou no uso de  madeira, texturas e fibras naturais. A cama da mocinha é de ferro (estilo patente) e as padronagens dos tecidos e almofadas foram desenvolvidas pela Uauá Baby, assim como o tapete de algodão. A composição de  aquarelas emolduradas leva a assinatura de Carolina Colicchio. Os móveis (a maioria desenho de Cris Passos) – armário, prateleiras, cabideiro, suporte do ukelelê e bancada –  vieram do Recife (Kub Kids) e privilegiam o uso de madeira clara e palhinha natural. Tudo é solto e fácil de ser transportado, como uma casa europeia. Para estimular o clima artístico, um cantinho foi transformado em um mix de espaço de estudo e ateliê. E há ainda o banheiro – repleto de plantas e com uma composição de espelhos de diferentes formatos. Mais lúdico, impossível.

Espaço Conceito 

Paula Carvalho arquiteta

Marcas à venda:

House of Pearls

Lulu e Frufru

Atelier Panacéia

Coelho na Lua

Realejo marcenaria

O Espaço Conceito é uma harmoniosa e aconchegante loja, que reúne seis marcas de decoração, com projeto assinado pela arquiteta Paula Carvalho. O espaço, segundo ela, foi pensado como um quarto em tons terrosos, para encantar crianças de todas as idades. Uma boiserie forra parte das paredes, assim como um painel adesivo, com estampa botânica. Há ainda uma cama casinha com direito à cabana suspensa. E cestos, almofadas, salpicados com texturas aconchegantes e divertidas.

Hall galeria

Paula Carvalho

Artistas: @ju_amei  / @carolinacolichioatelie / @melamelao_feitoamao / @carlaxiss / @anna.charlie

Entre o Espaço Conceito e o Quintal fica o hall de passagem, de 12m2, que se transforma em uma galeria de arte, com exposições temporárias. As paredes foram pensadas para receber diferentes obras – a cada semana, um novo artista exibe suas criações. Para isso, Paula lançou mão de painéis suspensos sobrepostos, forrados de diferentes tecidos. No meio do ambiente entram pegboards tingidos de verde.  O teto ganha um trançado de cordas e se enche de tsurus, origamis em forma de pássaros. Há ainda um cofre antigo (original da casa), junto aos móveis do designer Paulo Alves e da corrente escultural de crochê, assinada por Regina Misk.

Lojinha

Ayla de Barros (Dearq) + Carlos Lima (Marcenaria Lima)

Localizada no porão da casa e com 40m², a Lojinha preserva as características originais do imóvel dos anos 50, como os tijolinhos pintados de branco, baldrames (vigas invertidas que viram bancos) e piso de parquê em madeira. Ayla escolheu o compensado OBS, normalmente usado em tapumes, para acentuar a simplicidade do ambiente, desenhando assentos e móveis. A essência do handmade surge nos cabideiros feitos de galhos, na escada de bambu usada como expositor e nos vasos pendurados em hangers feitos de macramê com corda de algodão. Nas paredes, pintura de Ju Amora. Um detalhe importante: a loja abre diretamente para a rua, criando uma circulação alternativa para a mostra.

Bistrô no Quintal

Francine Jubran Interiores

Chef: Tammy Montagna

Com 25 m2, o bistrô assinado pela arquiteta Francine Jubran aposta em um estilo fresh e levemente praiano. Há, por toda parte, matérias primas naturais, como palha (esteiras no forro da cobertura e cestos), ladrilho hidráulico com estampa de libélulas no piso e parede (parede e piso, desenvolvido pela arquiteta especialmente para o ambiente), e, claro, muito verde ( trepadeiras originais e complemento do paisagismo do Ciclo Natural). Destaque para as cadeiras com formato de folhagem, do Fernando Jaeger, que circundam a mesa coletiva de madeira maciça, junto a peças vintage garimpadas pela arquiteta. O balcão – de estrutura metálica e palha sintética – é também desenho de Francine, que posicionou o pergolado aberto para o jardim, criando um ambiente integrado ao verde, sob medida para contemplar e degustar os bolos e biscoitos de Tammy Montagna, chef americana, expert em festas infantis, que opera o café (com cardápio de refeições leves).

Lavabo Out

Isabela Fraia Arquitetura

Por que não transformar o banheiro em um minimuseu de brincadeiras, que homenageia relíquias de antigamente como a peteca, a corda e a amarelinha? Essa é a proposta de Isabela Fraia, que criou, em 2m2, um universo lúdico recheado de memórias afetivas. Para ganhar espaço, a bancada de granito, com diferentes alturas (para pais e filhos), foi posicionada no lado de fora. Cerâmicas em tom de azul forram as paredes e um piso de amarelinha desenha o caminho para o lavabo.

Quintal na praça

Gabrieli Azevedo e Fernanda Lins (Matu Arquitetura) + Nicolas Le Roux, Luís Rossi e Paula Lemos (Cota 760 Arquitetura e Desenho Urbano)

As arquitetas da Matu se unem aqui à equipe da Cota 760 para criar um quintal inspirado em praças e jardins públicos. Uma grande estrutura metálica multifuncional, tingida de rosa, foi desenhada como um brinquedo divertido com degraus para escalada e lugar para se pendurar, além de servir de assento informal para os visitantes e, ainda, abrigar uma banca de flores. No muro, pintura artística da Cement, de Camila Cherobin (@_cement), traz formas geométricas em tons terrosos. O paisagismo do Ciclo Natural (@ociclonatural) desenha uma moldura verde para o espaço, pontuado ainda com vasos (linha lançada por Marcelo Rosembaum) e confortáveis móveis de área externa (Tidelli).

Jardim Sensorial

Fernanda Matos e Igor Tofolo (O Ciclo Natural)

Os arquitetos e paisagistas Fernanda Matos e Igor Tofolo convidam pais e filhos para desfrutar de uma experiência sensorial interativa. No jardim vertical criado por eles é possível tocar, sentir, ver, provar e interagir com plantas e diversas texturas de matérias primas naturais. Quanto à vegetação, os tipos escolhidos pela dupla privilegiam espécies tropicais, como alpínias, dracenas, fórmios, peperômias, além de samambaias e bromélias. Nas prateleiras, vidrinhos expõem amostras secas botânicas, identificadas com o nome científico, típicos de um gabinete de curiosidades. Espelhos foram posicionados sobre uma fonte de água, como forma de mimetizar e ressaltar os reflexos e, ainda, permitir que os visitantes se vejam inseridos no contexto e se percebam, literalmente, como parte integrante desse entorno vivo e verde.

Casa NaToca / Edição Botânica – SP 2019
Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4919 –Jd. Paulista – São Paulo
Período: de 31/08 a 13/10
Funcionamento: quarta a domingo, de 13h às 20h