06/03/2019 — Texto: Lara Savana

O Prêmio Pritzker de Arquitetura 2019 foi destinado a Arata Isozaki, que pratica arquitetura há quase 60 anos

Isozaki é considerado um visionário arquitetônico por sua abordagem transnacional e destemidamente futurista ao projeto. Com mais de 100 obras construídas, Isozaki também é prolífico e influente entre seus contemporâneos. Ele é o 49º arquiteto e 8º arquiteto japonês a receber a honra.

Nascido em 1931 em Oita, uma cidade na ilha de Kyushu, no Japão, o início de Isozaki na arquitetura foi profundamente afetado pelos eventos mundiais da época. Isozaki tinha apenas 12 anos quando Hiroshima e Nagasaki foram dizimadas na Segunda Guerra Mundial, sua cidade natal foi incendiada durante a guerra.

Isozaki levou esta visão de mundo com ele para a Universidade de Tóquio, onde se formou na Faculdade de Arquitetura e Engenharia em 1954. Prosseguiu os estudos com um Ph.D. na mesma faculdade antes de iniciar sua carreira arquitetônica a sério no escritório de Kenzo Tange. Isozaki rapidamente se tornou o protegido de Tange, trabalhando em estreita colaboração com o Prêmio Pritzker de 1987, antes de estabelecer seu próprio escritório em 1963.

Isozaki recebeu inúmeros prêmios ao longo de sua carreira, mais notavelmente o Prêmio Anual do Architectural Institute of Japan em 1974, a Medalha de Ouro do RIBA em 1986 e o American Institute of Architects Honor Award em 1992.

Na citação do prêmio, o júri afirmou “em sua busca por uma arquitetura significativa, ele criou edifícios de grande qualidade que até hoje desafiam categorizações, refletem sua constante evolução e estão sempre atualizados em sua abordagem”.

A cerimônia do Prêmio Pritzker de 2019 será realizada no Chateau de Versailles, na França, em maio, e será acompanhada por uma palestra pública de Isozaki, em Paris.