10/07/2020 — Texto: dc33 Comunicação | Lareira ecológica no living em projeto assinado por Isabella Nalon e décor de Sula Miranda | Foto: Julia Herman

Arquitetos trazem um dossiê completo com vantagens e desvantagens para te ajudar a escolher entre os diferentes tipos de lareira

O inverno chegou e as temperaturas nas regiões Sul e Sudeste já caíram para valer. Principalmente nas noites mais frias, procuramos maneiras de nos aquecer, já que nem sempre mantas e roupas quentes são suficientes. Entre os sonhos de consumo está a lareira, que garante não só um gradiente de temperatura mais aprazível, como também um cenário perfeito para reunir a família ao redor das chamas. Os arquitetos Isabella Nalon e Bruno Moraes, em companhia dos escritórios Dantas & Passos Arquitetura, Andrade Mello Arquitetura, Korman Arquitetos e Cristiane Schiavoni Arquitetura prepararam um dossiê completo que permite identificar o melhor modelo para a residência, afinal, a função da lareira vai muito além de acalentar pessoas. “Costumo dizer que a função dela é semelhante a uma mesa de jantar, pois reúne família ao seu redor para bater papo, tomar um vinho ou simplesmente conviver”, lembra Bruno Moraes.

De um modo geral, a instalação de todos os modelos pode ser feita na mesma altura: 40 cm do piso para que a chama esteja confortável para a visualização dos moradores. Porém, o tamanho do nicho pode variar de acordo com o tipo de lareira escolhida. Para o modelo a lenha, o indicado é 45 cm para a chama, enquanto as versões ecológicas e com lenha pedem entre 60 a 70 cm a altura do nicho. Acompanhe as informações por estilo:

Lareira clássica

Abastecida com lenha, a lareira tradicional precisa de mão de obra especializada para sua execução, e requer a execução de chaminé ou duto de exaustão para a fumaça. Por isso, precisa ser pensada durante a construção da residência, caso contrário, a sua concepção posterior demandará uma grande reforma na estrutura do ambiente. Além do projeto para a execução desejada, no mercado ainda é possível encontrar modelos pré-fabricados de alvenariametal ou concreto“A lenha leva os clientes para esse lado de uma memória afetiva, pois é inegável o prazer de perceber a chama e o barulho dos estalos característicos da queima da lenha”, revela a arquiteta Isabella Nalon.

No projeto assinado por Ieda Korman, do escritório Korman Arquitetos, a lareira tradicional na sala de estar já existia na planta original. Na reforma empreendida, ela ganhou vida e um nicho com fechamento específico para guardar as lenhas. No décor, outros dois nichos que receberam uma escultura de madeira | Foto: Gui Morelli

Em sua estrutura, a parte interna deve ser composta por plaquetas de tijolo refratário e a parte externa pode ser revestida com o material da preferência do morador. Em projetos onde o duto é escondido, convém utilizar materiais resistentes às altas temperaturas e bons isolantes térmicos, como o gesso rosa e a lã de rocha. “Sem contar toda essa estrutura descrita, o projeto precisa ser espaço. Em geral, é mais comum prever a construção em casas, pois é raro encontrar prédios que disponibilizam infraestrutura para a saída de dutos de ar”, diz Bruno Moraes.

No modelo clássico, a desvantagem está relacionada à rápida elevação da temperatura e a queima rápida, que exige o abastecimento frequente da lenha.

Lareira a álcool especial

Opção perfeita para quem mora em apartamento ou não deseja promover uma grande obra, a lareira ecológica pode ser encaixada em diferentes superfícies, como madeira ou pedra natural. Por não fazer fumaça, tão pouco expelir odor ou fuligem, a escolha simplifica o processo porque não é preciso prever chaminé ou tubulações específicas. Abastecida com álcool especial, o profissional de arquitetura é quem realiza o cálculo correto para prever o tamanho da lareira em função do ambiente.

A arquiteta Isabella Nalon explica que a lareira ecológica pode ser instalada em diferentes superfícies como pedra natural, madeira ou porcelanato. “Para equacionar o aquecimento em cima da lareira, geralmente especifico uma pedra natural ou um tijolo refratário recuado para não correr o risco de superaquecer”, diz.

Esse tipo de lareira é mais versátil, pode ser incluído desde uma mesa de centro da sala de estar, um dormitório ou até em um espaço para fogueira na área externa. “O modelo vai bem em diferentes espaços e tem grande durabilidade e usabilidade. Também gosto muito da flexibilidade, pois é possível transportá-la de um ambiente para o outro”, descreve Bruno Moraes.

 

Acompanhe alguns exemplos da lareira ecológica em projetos:

Adepto da praticidade da lareira ecológica, Bruno Moraes escolheu um modelo portátil que fica posicionado na estante executada em marcenaria e vergalhão que integra a decoração industrial desse apartamento situado na capital paulista. | Foto Luis Gomes

Na suíte master com 34m², os arquitetos Renato Andrade e Erika Mello, do escritório Andrade & Mello Arquitetura, elegeram a versão ecológica para posicionar entre a área da cama e do banho. Para tanto, embutiram a caixa metálica da lareira na alvenaria, que por sua vez ainda conta com uma laje na parte superior, como forma de proteger do calor a TV instalada no suporte giratório | Foto: Luis Gomes

No deck da cobertura, a arquiteta Isabella Nalon previu a execução de uma caixa de madeira para acoplar a estrutura metálica da lareira ecológica. Seja durante o dia, ou mesmo à noite, os moradores podem se deleitar ao calor e vivacidade das chamas | Foto Julia Herman

No estar, as arquitetas Paula Passos e Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos Arquitetura, envolveram a lareira ecológica em uma ‘caixa’ de mármore e a elevaram como destaque. Elegância que acompanha a decoração do projeto, acalora os moradores e protege a televisão da temperatura mais alta | Foto Maura Mello

A lareira ecológica permite a criatividade para sua instalação! No living, a arquiteta Cristiane Schiavoni, elegeu a mesa de centro em mármore para noites de conversas no sofá | Foto Carlos Piratininga

Lareira a gás

O modelo a gás dispensa dutos e chaminés, mas tem a sua adoção dificultada devido a necessidade de tubulação de gás para cumprir as normas de ventilação. Apesar da obra ou reforma indispensável para o funcionamento da lareira a gás, ela apresenta como benefício o fato de não ser preciso o reabastecimento frequente da lenha o do álcool. “Com todos os cuidados, é só abrir o registro”, explana o arquiteto Bruno.

Lareira elétrica

Similar a um aquecedor, a lareira elétrica produz calor para aquecer o ambiente e reproduz uma imagem em 3D como uma menção ao fogo. De fácil instalação e acionamento, exibe uma desvantagem quem pesa no bolso: o alto consumo de energia elétrica.

 

Para saber mais, acesse: www.isabellanalon.com.br | www.brunomoraesarquitetura.com.br | www.kormanarquitetos.com.br | www.andrademelloarquitetura.com.br | www.dantasepassosarquitetura.com.br | www.cristianeschiavoni.com.br