06/09/2018 — Texto: MBM Assessoria de Comunicação | Fotos: Divulgação

Casa Onda e Casa Azul utilizam vidros de proteção solar Habitat e são certificadas com os maiores selos de sustentabilidade do país

Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), a indústria da construção é responsável pelo consumo de quase metade de toda a energia produzida no mundo. No Brasil, dados do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável (CBCS) apontam que as edificações consomem cerca de 50% da energia elétrica do país.

Diante desse cenário, recursos e materiais que gerem eficiência energética são valorizados por certificações de sustentabilidade como o GBC Brasil Casa, concedido pelo Greenbuilding Council Brasil e pelo Selo Procel Edificações. Isso vai além dos jardins verticais e sistemas para reúso de água: obter um selo sustentável passa também pela escolha dos vidros. Cada vez mais presentes em janelas, portas e fachadas de casas brasileiras, os vidros de proteção solar para residências propiciam bem-estar por meio da redução de entrada de calor sem bloquear a luz, sendo essenciais em projetos que buscam selos verdes e recebem, por isso, uma pontuação especial. A aplicação desse tipo de produto gera maior aproveitamento da luminosidade, reduzindo o consumo do ar-condicionado e de luz artificial em até 30%.

Um dos cases a serem citados é a Casa Onda. A obra é uma residência que tem como conceito um projeto arquitetônico com consciência sustentável em todas as suas fases de construção. O nome foi escolhido em decorrência do telhado curvo remetendo a uma onda, resultando em um formato orgânico que busca maior interação com o meio ambiente.

O projeto, assinado pela arquiteta Monica Menarim Requião, do escritório Menarim Arquitetura, foi o primeiro do estado do Paraná a receber a certificação GBC Brasil Casa, que comprova o projeto como uma obra sustentável. Vale ressaltar que somente oito edificações brasileiras foram premiadas com essa certificação e apenas uma está localizada na região sul do país. A premiação foi concedida em fevereiro de 2018 na categoria Ouro.

Para se tornar uma residência de 580 m² autossustentável e energicamente mais produtiva, diversos materiais tiveram a sua contribuição, como aço, madeira plástica, materiais de reuso, materiais certificados ambientalmente, lâmpadas e luminárias eficientes, entre outros. Porém, o vidro afirmou um papel de protagonista na construção.

Em sua envoltura, foi aplicado o vidro Habitat, uma linha de vidros de proteção solar para residências fabricada pela Cebrace.  A versão laminada do produto, com espessura de 4mm + 4mm, foi usada na fachada e em janelas, impactando positivamente no desempenho energético da casa. A redução de entrada de calor no ambiente chegou a mais de 50% e a economia de energia foi em torno de 30%. Além disso, a tonalidade champanhe do vidro trouxe sofisticação e uma estética diferenciada para a fachada.

De acordo com a arquiteta da Casa Onda, os vidros Habitat foram escolhidos para a obra por seus benefícios em proteção solar para residências já comprovados no mercado. “Nós, arquitetos e urbanistas e, consultores de selos sustentáveis, estamos atentos ao que o mercado oferece de melhor. Conheci os vidros Habitat em um curso de MBA em construção sustentável e isso me chamou muito atenção”, conclui Monica.

Atualmente, após um ano e dois meses de finalização da obra, a Casa Onda produz mais de 50% do consumo de energia mensal. Durante o processo de execução da obra, 100% do lixo gerado foram desviados de aterros sanitários. Além disso, a residência utiliza também água pluvial para limpeza externa, irrigação de jardim e vasos sanitários.

A região centro oeste também recebeu com a primeira residência certificada com selo de sustentabilidade. Localizada em um condomínio fechado de alto padrão em Sinop, no Mato Grosso, a Casa Azul foi premiada com o Selo Procel. O projeto arquitetônico foi assinado por Carol Barreto, especialista em edificações sustentáveis.

Os vidros Habitat Refletivo Champanhe também foram aplicados na fachada e janelas, comprovando os benefícios da eficiência enérgica por meio dos dados de proteção e absorção do calor.

Assim como a Casa Onda, diversos materiais construtivos agregaram para que a construção recebesse a certificação. No entanto, mais uma vez, o vidro garantiu sua contribuição de destaque

O produto beneficiou a edificação ao barrar 40% do calor externo em relação ao ambiente interno. Esteticamente, a tonalidade escolhida combinou com as esquadrias de alumínio com acabamento amadeirado, mantendo o padrão de sofisticação arquitetônico da casa. Além disso, a versão refletiva do produto ofereceu mais estilo ao envidraçamento e privacidade, limitando a visão do interior da edificação durante o dia.

A região centro oeste também recebeu com a primeira residência certificada com selo de sustentabilidade. Localizada em um condomínio fechado de alto padrão em Sinop, no Mato Grosso, a Casa Azul foi premiada com o Selo Procel. O projeto arquitetônico foi assinado por Carol Barreto, especialista em edificações sustentáveis.

O Selo Procel Edificações, também conhecido como Selo Procel é outorgado pela Eletrobras e pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), tendo como objetivo aidentificação das edificações que apresentam as melhores classificações de eficiência energética. Para obtenção do Selo Procel Edificações é necessário primeiramente obter a Etiqueta PBE Edifica, classe A, que avalia a envoltória, sistema de iluminação e sistema de condicionamento de ar das construções.

www.vidroshabitat.com.br