18/09/2017 — Texto: Mão Dupla Comunicação | Fotos: Jomar Braganca

Sem perder a qualidade e potência, sistema de som e isolamento acústico estão cada vez mais imperceptíveis nos ambientes.

Lembra daquelas antigas salas de cinema em casa onde imensas caixas de som eram espalhadas pelo ambiente e os revestimentos de espuma ajudavam na acústica do espaço? Isso ficou totalmente para trás.

A concepção dos homes theaters atuais prezam por uma simplicidade elegante onde os recursos técnicos precisam primar pela discrição e somente a decoração e experiência do usuário com o espaço ficam em evidência.

Em um de seus projetos executados recentemente, a designer de interiores Danielle Bellini lançou mão de alguns recursos que mostra exatamente essa tendência.

Um deles é o um novo revestimento do mercado que ajuda na acústica do espaço sem, no entanto, prejudicar em nada a beleza do ambiente, pelo contrário, sua especificação ajudou na composição requintada do espaço.

“O revestimento de madeira permite ser pintado da cor que desejar compatibilizando os tons usados no ambiente com a peça. A cor escolhida é pintada na madeira que, por ser ripada, proporciona um efeito acústico e estético surpreendente no ambiente. Mas, ninguém ao ver o elemento, imagina que o motivo de sua especificação no espaço se deva a questão funcional e não estética”, explica a designer.

Além da acústica, o sistema de som também segue a linha da discrição. No ambiente da profissional, por exemplo, apesar de ter um som muito potente, o espaço não possui nenhuma caixa de som visível, isso porque todas elas se encontram embutidas no teto.

“As caixas de embutir anguladas dão um efeito estético bacana no teto e são de altíssima performance, inclusive o subwoofer. Já as caixas embutidas frontais são superdiscretas e, como são seladas para diminui o vazamento de som, garantem um sistema perfeito high end de altíssima qualidade”, finaliza Danielle.

www.escritoriobellini.com.br