22/09/2017 — Texto: Sandro Prezotto | Fotos: Elson Yabiku

Alguns pequenos detalhes podem ser responsáveis por mudar completamente um ambiente, transformando um projeto de acordo com o gosto dos moradores.

Engana-se quem acredita que para deixar a casa de cara nova é preciso uma grande reforma e muito dinheiro. Neste projeto, as arquitetas Aline Barros e Bárbara Campesi desenvolveram um belo trabalho de interiores que trouxe aconchego e deu mais vida à residência. Os moradores, um casal que costuma receber as famílias dos filhos aos fins de semana, desejavam que a casa fosse um refúgio, uma recompensa depois de cada dia de trabalho.

“Apesar de morarem no local há 5 anos, eles sentiam que faltava um pouco de personalidade. O maior desafio foi criar ambientes elegantes e agradáveis, sem nos desfazermos do mobiliário existente. Conseguimos dar esse toque especial substituindo tecidos de poltronas, cadeiras e sofás, inserindo novos elementos para compor com os objetos antigos, dando um ar mais moderno aos ambientes. O toque de aconchego foi conquistado com papéis de parede e tons mais escuros de tintas”, contaram as arquitetas.

Segundo elas, a sala de estar parecia vazia e sem identidade. “Em um espaço privilegiado, amplo e com pé direito duplo, ela não se destacava nem se integrava à sala de jantar. Para dividir sem barrar, colocamos um recamier e uma mesa lateral em laca petróleo, configurando o fechamento do espaço, mas permitindo a integração. Em uma das laterais da sala, trocamos a pintura por um tom rosê escuro e projetamos uma prateleira baixa para compor com o espelho existente, finalmente transformando aquele espaço em uma sala de estar digna de seus moradores”.

No lavabo, a parede tinha uma textura em cor clara que não valorizava os outros itens, como a belíssima bancada, com cuba verde oliva e o espelho que vai do piso ao teto. “Para dar um toque de elegância, propusemos uma intervenção com o uso de um composê de papéis de parede, cujo brilho lembra o cetim, o que transformou o lavabo completamente”.

A sala de jantar ganhou charme com três itens: textura, cor e brilho. A textura foi conferida pelas cortinas em linho e o tapete em tecido rústico. O brilho veio com o papel de parede, o lustre e objetos de decoração. Todos se relacionam pelas cores de tons próximos e neutros, que não interferem no toque dado pela mesa em laca petróleo.

Na cozinha, as arquitetas promoveram a troca do revestimento da ilha e da torre para trazer um pouco mais de calor. A cor escolhida foi o marrom café, que compôs perfeitamente com os móveis e a bancada em granito Café imperial.

O home também carecia de mais personalidade. “Propusemos um tom de azul escuro e um papel de parede com belos grafismos, buscando textura e movimento. Sob o fundo azul, escolhemos a laca branca para os ripados, utilizados para esconder as caixas de som e ar condicionado, e para as prateleiras que receberiam os quadros retratando artistas de cinema. Juntamente com um tapete roxo, eles conferem um ar divertido e moderno”. Para aquecer o ambiente, as arquitetas optaram pela madeira escura no painel da TV, no rack e na luminária.

“O maior desafio para a área da escada e o hall dos dormitórios, no andar superior, foi deixar o espaço com a mesma linguagem dos demais ambientes, mantendo o mobiliário existente. Para isso, escolhemos o mesmo tom rosê da sala de estar e um papel de parede da mesma linha do utilizado na sala de jantar. Para deixar esta área de passagem mais pessoal, cobrimos uma das paredes com um painel digital, utilizando uma linda fotografia do proprietário”.

Além de ‘herdar’ os móveis que estavam na sala de jantar, a área externa recebeu novas pinturas, o suficiente para proporcionar um visual muito mais atraente: o verde oliva foi escolhido para o espaço gourmet e um tom próximo ao terracota cobriu as paredes dos muros da piscina e canteiros.