07/01/2018 — Texto: dc33 Comunicação | Fotos: Inês Antich

A arquiteta Luciana Tomas agregou a praticidade e otimização dos ambientes para a primeira experiência de um jovem médico que passou a morar sozinho.

Ao reformar a casa do recém-formado em medicina, com 28 anos, a arquiteta Luciana Tomas recebeu desafio de criar um apartamento para um jovem que buscava uma vida prática, a convivência com suas recordações de viagens – marcantes em sua trajetória de vida –, e a oportunidade de receber, em seu lar, a presença frequente de amigos e familiares.

Para iniciar a transformação no imóvel com 105 m², a primeira providência tomada pela profissional foi eliminar as paredes que separavam os ambientes. O resultado foi a integração do coração do apartamento: cozinha, sala e varanda que proporcionaram uma arquitetura muito bem distribuída.

Na cozinha a neutralidade das paredes revestidas em azulejo branco deixam o ambiente tranquilo e descolado. A bancada de quartzo é o suporte do cooktop e também serve para refeições rápidas. As prateleiras permitem que os temperos fiquem à mão no momento do preparo das receitas.

Os móveis em madeira freijó e laca fosca cinza foram uma encomenda do morador e compõem todo o apartamento. Passando para a sala, o rack laqueado, no tom cinza, recebe os eletrônicos do home theater e a TV ganha destaque na parede revestida com lâminas de freijó. Em tom neutro, o sofá recebeu almofadas coloridas escolhidas por Luciana e, completando o ambiente, o tapete estampado em azul trouxe ainda mais personalidade ao espaço.

Completando a trinca da integração, a área da varanda conta com lareira, churrasqueira e, no bar, o desenho geométrico do ladrilho hidráulico chama a atenção de quem passa no ambiente. “O piso de porcelanato cinza brilhante foi um pedido do cliente. As paredes com textura de concreto e piso na mesma tonalidade contrastam com a cor da madeira”, afirma Luciana.

Especialista em aproveitamento de espaço, a profissional ainda criou, um pequeno escritório no espaço recuado entre a sala e o quarto. “Como médico, o morador precisava de um ambiente para realizar seus estudos e pesquisas, além de guardar todos os seus livros de medicina”, relata.

Na área íntima do apartamento, a suíte master ficou com dimensões superiores àquela destacada na planta original. O closet foi integrado ao quarto, proporcionando mais espaço para circulação e, as portas de correr no armário espelhado contribuirão para trazer a sensação de amplitude.

No banheiro, a composição inesperada entre o porcelanato que imita madeira, as pastilhas dentro da área do box.

Pensado com dupla utilização – tanto para receber hóspedes como um cantinho especial para o morador descansar e tocar seu violão –, o segundo quarto do apartamento revela harmonia. O deck de madeira com futon e almofadões deixa o ambiente mais rústico e aconchegante.

www.lucianatomas.com.br