09/10/2017 — Texto: Mão Dupla Comunicação | Fotos: Jomar Bragança

Projeto da arquiteta Renata Ferreira mostra como é possível deixar a meninada aproveitar a diversão do vídeo game, sem comprometer a saúde.

O número de crianças e adolescentes apaixonados por jogos eletrônicos vem crescendo a cada dia. As horas intermináveis à frente de uma tela de computador ou vídeo game deixam os pais preocupados, principalmente em relação à postura e saúde de seus filhos.

Ciente desta tendência, que vem dominando a vida de garotos e garotas, a arquiteta Renata Ferreira, mãe também de um adolescente de 14 anos, viciado em games, uniu seu lado maternal ao profissional em um projeto voltado para atender aos desejos de diversão das crianças, porém com um cuidado especial à sua saúde.

O quarto é voltado para um público de crianças entre 5 e 12 anos e possui um layout com características do popular jogo Minecraft que é representado no espaço por meio do lustre – que remete às espadas utilizadas pelo personagem do game -, no painel ripado com doze arandelas em formato do boneco Steve e o painel recortado a laser, que simula um circuito de computador, parecido ao circuito Redstone.

Para minimizar os danos causados pelo tempo que a criançada fica sentada brincando, Renata Ferreira se preocupou com a ergonomia do mobiliário. “Busquei uma cadeira totalmente ergonômica, que pode ser usada tanto para um adulto quanto para uma criança. Ela se regula totalmente, nas costas, lombar e encosto sendo um suporte importante para a coluna e, portanto, prevenindo problemas como lombalgia e hérnia de disco. Já os braços da cadeira, que também regula conforme a altura do usuário, ajuda a precaver mais um grave problema de quem usa muito o computador: a LER”, explica a profissional.

Outro móvel utilizado pela profissional no espaço e que auxilia na postura do jovem ao ficar diante do computador é a mesa. “Optei por utilizar uma mesa com tampo regulável, que pode ter duas alturas, uma mais baixa e outra mais alta e a utilizo das duas formas no ambiente”, comenta.

Além desses mobiliários, Renata Ferreira preocupou em inserir outros tipos de móveis no espaço que convidasse o jovem a também ter um momento de pausa: “Mesmo tendo um mobiliário adequado, passar horas na frente do computador não é saudável. Por isso, eu optei por colocar uma cama baixa e uma cadeira de pendurar no espaço. Esses dois móveis, com design diferente e atrativo, tem o poder de chamar a atenção do jovem e o estimular a ter um momento – preciso – de pauta na brincadeira”, finaliza.

www.renataferreiraarq.com.br