13/02/2019 — Texto: Renova Media Advising | Fotos: Ronaldo Cano

Projeto reúne arquitetura, decoração e obra de arte

A fotografia do pôr-do-sol transformada em uma obra arte de arte de 2,5 x 2,70 nos tons degradês de laranja e cinza, além de trazer sensações de paz e energia para casa de um jovem casal de empresários em Curitiba, revela o resultado de um projeto que estudou cada cor, textura e forma e fez uma seleção primorosa dos mobiliários Artefacto. Nomeado pelos próprios moradores como Casa dos Sonhos, o projeto de arquitetura e decoração de Viviane Tabalipa realizado em uma região privilegiada pela vegetação, atendeu o pedido por espaços individualizados de descanso e convívio social com amigos e familiares.

“Procuramos primeiramente satisfazer todas as exigências funcionais para depois nos preocupar com a volumetria equilibrada e destacada pela leveza conquistada por extensos panos de vidro na fachada”, explica a arquiteta que conduziu o projeto, Viviane Tabalipa.

O grande destaque do projeto é a área social que integra a sala de tv, de estar e gourmet. Na sala de estar, uma composição com duas mesas de centro em microtextura e a mesa de centro, de madeira de origem mexicana, com aparência fossilizada, deram um charme especial ao ambiente. Para deixar o ambiente mais descontraído, o sofá Moldávia em linho cinza claro composto com as poltronas Giorgio em tricô cinza e design mais arredondado foram os escolhidos. O banco em pele natural vaqueta em tons de cinza e marrom, além dos pufes sobre o aparador traz uma opção de apoio para o ambiente. Com a intenção de contemplar a natureza e o pôr do sol imperdível que a localização da casa propicia, as poltronas foram escolhidas para a varanda.

O projeto que tem uma característica mais contemporânea, com grandes vãos livres e panos de vidro fazem a integração da natureza, junto aos ambientes internos. A horizontalidade da residência devido às dimensões alongadas do terreno é perceptível e foi propositalmente pensada para compor todos os cômodos em uma comunicação rápida e fluída entre as demais áreas, deixando a área íntima um pouco mais reservada.

“As cores neutras e vários tons de cinza foram privilegiados e contrastados com pinceladas de amarelo na bancada e também nos elementos decorativos”, conta a arquiteta.