28/11/2017 — Texto: Mariana Amaral Comunicação | Fotos: Denilson Machado

Idealizado pelo escritório carioca PKB Arquitetura, apartamento localizado no Jardim Botânico (RJ) integra a natureza ao morar.

O casal de advogados com dois filhos pequenos adora a ideia de morar em um apartamento com cara de casa e por isso buscaram pela segunda vez um apartamento térreo que tivesse o clima de uma casa com todos os serviços que um prédio oferece.

A premissa para o projeto era que a nova residência tivesse um estilo acolhedor, que as pessoas se sentissem bem ali, que seus dois filhos, uma menina de 7 anos e um menino de 4, tivesse a liberdade de brincar e que seus amigos e parentes se sentissem também em casa.

A primeira ideia foi trabalhar as duas varandas de formas diferentes para atender às demandas da família. A varanda menor que conecta a sala com dois quartos foi projetada tendo em mente os jantares que o casal costuma dar em casa. O extenso banco de concreto com o jardim de fundo e piso em ladrilho hidráulico azul dão a sensação de um pátio particular.

Para dar um pouco de privacidade aos quartos foram desenhados painéis de correr com venezianas móveis que podem ser fechados nos dias de festa escondendo o balanço, objeto de desejo pedido pela cliente já nas primeiras reuniões.

Já a varanda de trás, a maior das duas, atende tanto aos desejos do casal quanto aos filhos com sua ampla cozinha gourmet equipada com churrasqueira, adega, cervejeira e máquina de gelo e uma piscina aquecida para ser usada o ano todo.

Um ponto importante solicitado pelos clientes foi em relação à privacidade já que as duas varandas eram parcialmente abertas para as áreas comuns do prédio. A solução veio através da cobertura de vidro jateado com fechamento vertical em venezianas de vidro que podem ser fechadas para maior privacidade ou preservar o ar condicionado. Na área da piscina foi usada uma cobertura de policarbonato retrátil para entrada do máximo de ventilação e luz natural quando a mesma estiver sendo usada.

A sala de estar é o ambiente mais amplo da casa com cerca de 60m². O tamanho do ambiente era desproporcional em relação ao pé-direito original de menos de 2,5m, fato que incomodava bastante a proprietária. A solução foi retirar o rebaixo de gesso deixando aparente a laje do prédio que tinha uma textura muito bonita, porém essa ideia não foi muito bem aceita pelo marido, um pouco mais conservador, que tinha medo da sala ficar com um aspecto frio por conta do concreto.

Desse impasse veio a proposta de criar um pergolado de madeira vazado em parte da sala que, juntamente com o piso de madeira, proporcionam a sensação de aconchego que eles tanto queriam. Ainda sobre o uso da madeira, foi desenhado um painel revestindo a parede da porta de entrada que recebe um banho de luz dos spots embutidos no piso.

Para balancear o peso da madeira, na parede oposta foi colocado um móvel em laca branca para armazenar as louças e objetos da família com um fundo em pedra São Tomé em cacos aplicada diretamente na parede. Um espelho bronze foi colocado no fundo da parede de jantar para esconder a lateral da adega e a parede do lavabo refletindo o jardim da varanda trazendo um pouco do verde para dentro da sala.

O lavabo foi pensado para ser um ambiente mais dramático onde quase toda a iluminação é feita por sancas embutidas no gesso e apenas um spot dando foco à bancada com cuba esculpida de mármore carrara encapada com madeira freijó. As paredes receberam textura de concreto em réguas feita no local.

A cozinha original do apartamento era bem menor pois contava com hall de serviço que liga a sala aos quartos. Foi proposto eliminar o hall ganhando mais área para a cozinha e abrir a adega, que tinha acesso por esse hall, para a sala. Com isso, a cozinha ficou bem mais ampla permitindo a criação de uma ilha e uma mesa para até 6 pessoas, onde a família faz a maioria das suas refeições do dia-a-dia. Os acabamentos e cores foram inspirados pelas cozinhas da década de 50, com seus tons claros e cores pastéis. Na parede que dá acesso aos quartos, uma estante suspensa feita em serralheria com portas de correr de vidro jateado, ao mesmo tempo que emoldura a TV, armazena as louças do dia-a-dia.

O quarto do casal, apesar de ser amplo, não passava a impressão de ser do tamanho que é por ser muito estreito e comprido. Ao mesmo tempo em que tinha essa questão da proporção no quarto, o banheiro era grande demais com espaços mal aproveitados por uma banheira de hidromassagem que os proprietários não faziam questão.

Para resolver essas desproporções, foi sugerido desconstruir o banheiro abrindo-o totalmente para o quarto e se transformando em uma extensão do closet. Todo esse conjunto banheiro-closet pode ser isolado da área de dormir por uma porta de correr.

Enquanto o banheiro utiliza cores e texturas neutras o closet traz um choque de cor com suas portas azuis e seu piso de madeira natural. Seguindo a ideia da integração dos ambientes, o revestimento imitando concreto da Decortiles que reveste a parede da pia vira para o quarto e funciona como um painel para a TV.

Do lado oposto, na parede da cama, a mesma textura de concreto está presente na viga aparente que foi revelada após a retirada do gesso original para aumentar o pé direito do quarto. Para balancear a frieza do concreto, a cabeceira da cama recebeu um painel ripado em freijó que traz o conforto e aconchego que o quarto merece.

www.pkbarquitetura.com.br