11/06/2018 — Texto: Bat Comunicação | Fotos: Quadra 2 Fotografia

Os arquitetos do escritório Casa 100 Arquitetura, transformaram um pequeno apartamento em um lar funcional com móveis multiuso, concreto aparente, cores vivas e detalhes em cobre.

O apartamento de 40 m² de um casal recém-casado tem cada canto aproveitado. A multifunção dos ambientes foi a solução adotada pela dupla de arquitetos do escritório Casa 100 Arquitetura, Diogo Luz e José Guilherme Carceles.

O estilo urbano e contemporâneo do casal foi contemplado na concepção do projeto do apartamento de pé direito duplo, mezanino, sala de estar com cozinha acoplada e dois banheiros, localizado no bairro Campo Belo, na zona sul de São Paulo. Carceles e Luiz resolvem o problema de espaço com móveis de marcenaria com múltiplas funções e soluções personalizadas que no contexto valorizam o estilo do projeto.

Para aumentar a amplitude da sala de estar, e trazer mais luminosidade para o quarto, localizado em um mezanino, os arquitetos decidiram deixar a laje nervurada aparente, aumentando o pé direito e dispensando revestimentos: “A escada também ficou no cimento, sem acabamento nenhum. Seguem um estilo bruto, que exploramos neste projeto”, explica Luiz.

De acordo com Carceles, a moradora queria ter uma sala de estar e televisão ‘separadas’ em seu apartamento. Foi por esse motivo que os arquitetos apostaram em um móvel com duas funções na sala. Quando aberta, a peça amarela, por dentro e por fora, acomoda a televisão. Já fechada, funciona como aparador. “Esse tipo de móvel multiuso é perfeito para aproveitar ao máximo espaços pequenos como esse”.

A peça que delimita a cozinha é um painel preto, com a geladeira embutida. “Eles adoram cozinhar, e queriam muito um espaço para poder escrever suas receitas e ter um apoio para preparar os ingredientes”, explica Carceles. A saída foi fazer uma bancada com dois bancos embutidos, que quando puxados, vira uma mesa para quatro pessoas. Além disso, a parede da bancada foi pintada com tinta lousa, para que possam escrever receitas e recados.

O problema de falta de armários foi resolvido com uma grande prateleira de madeira no teto, que contorna parte da cozinha. Um painel que vai do piso ao teto separa esse ambiente da área de serviço. As luminárias da cozinha são de cobre e harmonizam com os tubos que garantem a proteção da escada – esses canos de cobre também servem para criar um pequeno ambiente, que virou a casa da Filó, gata do casal.

No quarto, optaram por derrubar a mureta de proteção do mezanino, que bloqueava a luminosidade, e transformá-la em uma grande bancada, estruturada em chapa metálica e revestida em madeira que avança sobre o vazio do mezanino. “A ideia foi substituir uma barreira por um móvel utilitário, que ainda ampliou o quarto. A bancada virou um home office, duas cabeceiras e uma boa prateleira”, conta Carceles.

Na cozinha, na lavanderia e no banheiro do casal, as bancadas foram moldadas em concreto in loco. E no lavabo, a cuba é feita de chapa metálica, com uma torneira simples de latão, igual as de tanque. De acordo com Luz, essas escolhas fazem uma diferente enorme no bolso do cliente, e no estilo do apartamento, que segue a tendência urbana e bruta.

No banheiro do casal, a porta é piso teto – não tem batente – para dar essa sensação de amplitude. “A parede inteira de azulejos, do cemitério dos azulejos, também ajuda, pois quando você estende o mesmo material no acabamento o ambiente cresce”, explica Luiz.

Já no lavabo, a iluminação por trás do espelho e o acabamento simples em ladrilho cerâmico laranja têm o papel de clarear o banheiro. Para Carceles, a escolha traz um contraste interessante ao ambiente.