03/08/2020 — Texto: DC33 Comunicação | Fotos: Julia Herman

Projeto de arquitetura de interiores destaca integração da área social e inclui um estúdio de música completo para momentos de descontração e rock’n’roll

Com 130 m², o apartamento localizado em São Paulo e recém-entregue pela construtora demandava um projeto completo de arquitetura de interiores para receber a família: um jovem casal de estilo descolado com uma bebê. Coube à arquiteta Isabella Nalon, do escritório que leva seu nome, capitanear a reforma que ampliou a área social, proveu conforto em todos os ambientes e que incluiu uma sala de música para o marido que adora curtir sua bateria e o repertório de rock and roll. “Cada projeto que trabalhamos é único e foi um grande prazer atender os pedidos tão especiais que refletiram o jeito de ser dos nossos clientes”, recorda Isabella.

A partir da planta baixa original do imóvel, a profissional apostou na integração de ambientes com funcionalidade e boa circulação para o novo projeto arquitetônico. Para tanto, uma das soluções implementadas foi a substituição das portas tradicionais por modelos mais largos – tanto na cozinha, quanto no estúdio. “Integrar não significa derrubar paredes por completo, mas sim prover a conexão entre os espaços. A instalação de novas portas respondeu perfeitamente nossa proposta e ainda flexibiliza a vida com a possibilidade de fechar nos momentos oportunos”, explica a profissional.

Além disso, a visão geral do planejamento de Isabella para a obra compreendeu o ambiente musical, que tornou-se um dos destaques do apartamento, e a gatinha de estimação. A escolha de tecidos resistentes, o desenho exclusivo de uma passagem na porta de correr instalada na área de serviço e um cantinho reservado na varanda para a casinha de felino com vários andares propiciaram uma rotina tranquila para a convivência da pet com os moradores.

Nas paredes das salas, a arquiteta seguiu as referências indicadas pelo casal: uma tonalidade de cinza mais escuro, porém não tão pesado. Na composição da sala de estar, a cor acompanhou a escolha do sofá, da Estar Móveis, e o tapete, da Phenicia Concept. No piso, o âmbar do taco Cumaru foi suavizado pelo rodapé alto branco. Quanto aos móveis, a escolha foi o estilo clean em modelos práticos, funcionais e que não prejudicassem a circulação. “Priorizamos uma decoração que, além de refinada, funcionasse muito bem em momentos de casa cheia de familiares e amigos”, revela Isabella.

A sala de estar foi produzida para igualmente exercer a função de sala de TV. O item principal é o amplo sofá retrátil que, quando não recepciona os visitantes, pode ser aberto e proporcionar bem-estar para as sessões de cinema dos moradores. Já as poltronas giratórias atendem diversas situações, como papear com quem está no sofá, focar a TV ou interagir com quem estiver na mesa de jantar.

A mesa de jantar comporta até oito pessoas e é totalmente integrada a cozinha, permitindo que os ambientes se relacionem. Seguindo o briefing dos moradores, o projeto ocupou-se de prover espaços generosos de circulação para que não ocorram, no dia a dia, esbarrões e acidentes na passagem entre os móveis. Bem disposta, a sala apresenta a elegante mesa com tampo em madeira de demolição com vidro sobreposto e as cadeiras, também em madeira do mesmo tom, finalizadas com assento em couro preto. Na decoração, destaque para o pendente e a tela vermelha.

A terceira suíte, presente na disposição original do apartamento, foi transformada na sala de música. O primeiro passo foi quebrar uma das paredes, bem como eliminar o banheiro existente, dando lugar a um mini escritório integrado ao espaço. Sabendo da paixão do morador pelo rock and roll, a inspiração de Isabella foi transpor a atmosfera de um pub inglês – intimista e funcional para os ensaios. Revestimento de tijolinhos da Palimanan, teto pintado de preto, meia-luz com o uso do led e objetos decorativos dentro do tema completam o décor. “Ainda incluímos elementos que revelam outra admiração do nosso cliente, o motociclismo”, relembra a arquiteta.

Todavia, a elaboração do estúdio não esteve voltada apenas para a ambientação: era fundamental focar nas questões do conforto acústico. Apesar do instrumento principal ser uma bateria eletrônica, Isabella não poderia desconsiderar o impacto da batida com os pés no pedal e a sonoridade promovida durante os ensaios com guitarra e baixo. “Embora ele e seus amigos utilizem fone de ouvido, precisamos partir do pressuposto que as ondas sonoras promovem vibrações”, explana.

Entre os  recursos elencados para atenuar o impacto acústico, o projeto incluiu forrar o contra-piso com uma manta e, por cima, a instalação de um carpete de alta densidade. No local da bateria, um tablado emborrachado, finalizado por um tapete, foi disposto para dissipar o som que por ventura pudesse atravessar o piso e incomodar o vizinho do andar debaixo. “Para fechar, contamos com o revestimento de tijolinho da parede que, por ser um material natural, contribui na absorção do som, e a fita adesiva com pelos para vedação colocada no vão entre a porta e a parede”, enumera.

Mais ousada, a cozinha evoca a modernidade da marcenaria preta – outra predileção do morador. Com o objetivo de balancear a escolha, não deixar o cômodo escuro e trazer alegria, Isabella propôs um contraste com a meia parede revestida com as pastilhas de vidro predominantemente amarelas. O piso também foi composto com pastilhas e se estende até a varanda.

A iluminação com componentes do Armazém da Luz foi pensada para duas situações: em momentos de refeições na bancada em granito preto absoluto, os pendentes e os focais entram em cena… mas se a presença no ambiente for para preparar pratos, o projeto luminotécnico provê uma cozinha amplamente iluminada.

Antes separada por uma porta de vidro, Isabella removeu a porta que unificou a varanda com churrasqueira à cozinha. “Estendi o piso de vidrotil, alcançando a varanda e delimitando a área da churrasqueira”, relata.

O lado ‘social’ da varanda foi delimitado pelo uso do piso preto de bambu (Neobambu). Por lá, a versatilidade manteve a presença com a proposta de dispor móveis funcionais: a mesa de refeições se transforma em dois aparadores nos dias de festa, podendo ser utilizada para refeições no dia-a-dia ou como apoio na varanda nos dias de casa cheia. Por fim, uma grande chaise foi escolhida para curtir momentos de relaxamento, tornando-se uma extensão da sala de estar.

No lavabo, a ideia inicial era apostar no preto, mas por se tratar de espaço pequeno, foi necessário promover um equilíbrio para o cômodo não parecer ainda menor. Por meio do papel de parede preto com desenhos geométricos em prata, a leveza se fez presente com a bancada e bacia sanitária branca, a cuba de vidro e o espelho com desenho vitoriano. A iluminação com arandelas e luz mais focal formam um ambiente cênico e intimista.

Avançando para a área íntima, o dormitório do casal é marcado pela cabeceira preta em veludo e apoios laterais em madeira ebanizada. A exuberância e a delicadeza das boiseries completa o charme do ambiente. “O rosa escolhido para a cabeceira emana um ar mais romântico e é completado pelo enxoval e as almofadas”, suspira a arquiteta.

No banheiro máster, mais claridade e aconchego com a paleta de tons de bege e amadeirado, a bancada em porcelanato e cuba esculpida no mesmo material que também está no piso. As paredes do box foram revestidas com porcelanato, mas com um desenho que remete às pastilhas.

O quartinho da bebê foi escolhido pela moradora e traz tons de rosa-queimado e verde. “Aproveitamos a cama que já existia no quarto para acomodar a babá durante seus cuidados com a menina”, diz arquiteta. Para trazer um clima mais infantil, a docilidade do papel de parede acompanha as tonalidades do quartinho e o berço de madeira, no seu formato oval, completam a tranquilidade que devem fazer parte do crescimento da criança.

Para saber mais, acesse: www.isabellanalon.com.br