08/10/2010 — Texto: Bat Comunicação | Fotos: Mariana Orsi

A ideia era ter um espaço amplo, mas minimalista nos acabamentos, com destaque apenas para a parede de tijolinho azul marinho

A arquiteta Lívia Leite, do escritório Estúdio Maré,  é a responsável pela transformação deste apartamento de 112m² para um casal jovem, no bairro Jardins, em São Paulo. Queriam uma cozinha ampla, sem excessos, uma bancada que de apoio para cozinhar e uma mesinha para café da manhã e almoços rápidos, mas com um detalhe especial: uma parede de tijolinho azul marinho.





A ideia inicial era abrir a cozinha para a sala de estar, integrando tudo. Porém, como o apartamento é bem antigo, o prédio não tinha a planta estrutural, e já no início da obra descobriu-se um pilar na parede entre a cozinha e sala. A solução foi ampliar o vão e colocar a porta de vidro para integrar os espaços.





A maioria dos acabamentos tem tons de cinza, para trazer a ideia minimalista inicial, e metais e serralheria são pretos para dar ênfase à parede de tijolinho azul marinho, a qual também tem bastante visibilidade para quem está na sala.

O sofá da Cremme ficou perfeito na sala de estar, pois serve para receber os amigos e, quando aberto, fica super confortável para assistir aos filmes e séries preferidos pelos clientes. Outra peça que compõe o ambiente com muita elegância é a poltrona Butterfly, adquirida Herrero Antiquário. As poltronas Luis XV são herança de família, por isso só os tecidos foram trocados, mantendo a madeira desgastada para dar aquela carinha de móvel antigo mesmo.

Já a sala de jantar tem um formato quadrado, daí a escolha de uma mesa redonda para se encaixar melhor nesse formato, realçada pela parede em tijolinhos brancos.





O quarto do casal foi dividido em dois espaços: um closet em frente à cama e, na parte de trás dele foi feito um nicho para a televisão e seus equipamentos.

O segundo quarto transformou-se em home office com uma grande bancada de trabalho, mas ele pode virar um quarto de hóspedes, quando necessário.

O lavabo foi construído do zero, pois apartamentos antigos não costumam ter lavabos. Ficou bem cenográfico com paredes e teto em verde escuro. Já o banheiro da suíte ficou em tons mais suaves, relaxantes.

Fizemos uma super renovação de tudo, desde piso, revestimentos, portas e marcenaria, até hidráulica e elétrica. O único item que mantivemos foi o guarda-roupas do home office, que foi reformado externamente”, afirma a arquiteta Lívia Leite.

www.estudiomare.com ou o Instagram @estudiomare