08/09/2016 — Texto & Fotos: Divulgação

Uma equipe de seis profissionais brasileiros, de Campinas/SP, recebeu menção honrosa no concurso promovido pela Biblioteca de Alexandria e pela UIA (União Internacional dos Arquitetos), durante a última edição do “The New Science City” International Architectural Competition, no Egito.

O anúncio dos vencedores foi em agosto. A competição teve como objetivo selecionar a melhor proposta de arquitetura para a construção da cidade da ciência, que representará o renascimento científico do Egito e o principal centro de ciência do oriente médio e África.

Ao todo, 349 arquitetos, de 45 países, se inscreveram. Para a etapa final, 142 projetos, de 32 países, foram para avaliação do júri. Os brasileiros ficaram em sexto lugar. O projeto da equipe brasileira foi desenvolvido com design flexível, contendo um local central de encontro.

No projeto, o grupo explica a forma de implantação, com a ocupação do terreno através de dois elementos: a torre de observação e o campus da ciência.

“Nossa proposta para a cidade da ciência em 6th of October City foi idealizada para criar uma nova identidade para a paisagem local. Para isso, tivemos que fugir da lógica convencional de edifícios retangulares espalhado em um campus. Optamos por um desenho de formas esféricas puras a fim de criar um marco referencial”, conta o arquiteto Daniel Ribeiro.

“É um projeto muito claro e inspirador, mantendo-se convencional de uma maneira que oferece grandeza sem estranheza”, aponta a ata da comissão de avaliadores.

Os primeiros colocados foram as equipes do Reino Unido (1º e 3º), Malásia (2º), Coreia do Sul (4º) e Grécia (5º).

Sobre a equipe:

Um grupo formado por três jovens arquitetos recém-formados da PUC Campinas (Daniel Henrique Ribeiro, Giliarde Silva, Guilherme Oliveira), um arquiteto e professor da PUC Campinas (Joaquim Caetano de Lima Filho) e dois estudantes de arquitetura (Lucas Moretti, Raissa Shizue), que juntos conceberam o projeto. A equipe ainda teve o apoio do estudante Gabriel Damasceno da FAJ.