12/06/2019 — Texto: v2com | Fotos: Divulgação 

O projeto, que foi realizado pelo escritório Hariri Pontarini Arquitetos, é um dos três finalistas do Prêmio Internacional RAIC 2019 para Arquitetura Transformativa

Concedido a cada dois anos, este prêmio de renome mundial celebra a arquitetura de todo o mundo que transforma a sociedade e promove a justiça, o respeito, a igualdade e a inclusão. A Hariri Pontarini Arquitetos é a primeira empresa canadense a fazer parte da lista de candidatos para o prêmio. O vencedor será anunciado na RAIC em Toronto, no Canadá, dia 25 de outubro deste ano.

Sobre o Projeto

No coração deste edifício há uma crença e uma aspiração: que mesmo agora, no século XXI, podemos responder a um anseio humano de nos unirmos, nos conectarmos uns aos outros e a algo que move o espírito. O Templo fica à beira de Santiago e aninha-se contra a espinha da Cordilheira dos Andes. Foi encomendado pela Casa de Justiça Bahá’í e é o oitavo e último templo continental da Fé Bahá’í.

Composto por nove asas idênticas, graciosamente torcidas, amarradas ao óculo no topo, criando um movimento leve em torno de um centro aterrado, o Templo é leve, mas também enraizado e tem uma sensação de permanência. Uma estrutura circular com nove lados, nove entradas abertas, figurativa e simbolicamente, para todos.

As linhas arqueadas dos bancos de madeira flexíveis convidam as pessoas a se reunirem, não para uma congregação, mas para congregar, sentar-se lado a lado em contemplação silenciosa, compartilhando o ato comunal de ser.

O mezanino alocado acima permite que aqueles que buscam ficar sós, se envolvam, sem perder a conexão com a comunidade abaixo.

Expressando uma crença inabalável na inclusão, o Templo se tornou a personificação de uma aspiração humana pela comunhão dentro da diversidade. Desde a inauguração, no outono de 2016, o Templo se transformou rapidamente em um grande atrativo na América do Sul, recebendo mais de 1,4 milhão de visitantes.

Para saber mais, acesse: www.hariripontarini.com