04/03/2019 — Texto: Lara Savana | Fotos: Guilherme Pucci

O objetivo da obra foi criar uma releitura de uma tradicional casa de fazenda

O projeto é de autoria do escritório OTP Arquitetura, que procurou utilizar elementos tradicionais de uma casa de fazenda, como alpendre, pátio, telhado de duas águas e beiral, combinado a uma concepção contemporânea.

A casa tem 220m² e nasceu da proposta de preservação das condições naturais do sítio. Depois disso, foi definido a cota média do terreno para implantação dos dois volumes, do lado esquerdo, o social, voltado para o declive, tirando proveito da vista com a piscina cravada em meia encosta.

Já o volume direito, no qual se localiza a parte intima da residência fica voltada ao aclive, protegendo-a de ruídos e conferindo maior privacidade.

Os dois volumes são conectados por uma laje de concreto com vedação de tijolo ecológico aparente, criando um contraste com os dois volumes brancos. Sob a laje conforma-se o hall de entrada da casa, responsável pela separação das funções sociais e intimas da residência.

O escritório procurou preservar a árvore que está localizada no meio do terreno, constituindo um pátio central. Este é responsável pela organização espacial e de fluxos do projeto, além de garantir a melhor insolação e ventilação dos ambientes.

A Volumetria da fachada principal é composta por dois volumes prismáticos pentagonais brancos, apenas com duas pequenas aberturas simétricas em contraste com o volume do hall de entrada, este tirando partido da materialidade do concreto e do tijolo cerâmico.

Já o volume social se caracteriza pela flexibilidade do ambiente e sua fluidez, integrando o pátio a área da piscina, voltada para o declive do terreno.

Saiba mais em: www.otparquitetura.com.br