05/08/2020 — Texto: Larissa Karlovic | Fotos: Denilson Machado, do MCA Estúdio 

O projeto dos arquitetos Ricardo Melo e Rodrigo Passos visou a modernização do apartamento sem abrir mão de suas características originais modernistas

O apartamento de 180m², assinado pelo arquiteto moderno Álvaro Vital Brasil, está localizado em um edifício dos anos 50, em Ipanema, no Rio de Janeiro. O projeto de reforma, restauração e decoração, desenvolvido pelos arquitetos Ricardo Melo e Rodrigo Passos, foi elaborado e aprovado em 4 meses e executado e decorado em 7 e visou modernizar o apartamento, modificando sua planta original com muito cuidado para que o imóvel não perdesse suas características.

 

Os clientes são pessoas cultas, de extremo bom gosto, apreciadores de arte e coisas de qualidade. Eles reconheceram e compraram esse imóvel pelas características originais modernistas dele e pediram que esses elementos fossem mantidos. Se não houvesse esse pedido especial, nós mesmos teríamos sugerido isso, conta Ricardo Melo.

Sofá Duomo, da Finish / Tapete Galeria Hathi / Pufe vermelho garimpado de antiquário, original dos anos 50 / Poltronas do acervo do cliente, original dos anos 50 / Mesa de centro Elíptica, criada por Charles Eames, da Novo Ambiente / Vasos do Arquivo Contemporâneo / Quadro “Vênus primitiva” de Carlos Dangeli, um dos donos do apartamento / Quadro “Penas”, de Roy Barloga, da Almacén Galeria

O casal de moradores, um dentista e artista plástico e outro executivo de marketing, conheceu o escritório de arquitetura por meio de amigos em comum. Outras demandas apresentadas pelos clientes foram uma sala de estar confortável, totalmente voltada para a vista da rua; uma suíte ampla e integrada, além de espaço para acomodar diversas obras de arte.

Muitas peças do acervo do casal foram mantidas, o que garantiu ainda mais personalidade ao projeto. Na paleta de cores, predominam tons neutros, entre preto e branco, que ressaltam as obras de arte e alguns móveis que os clientes já tinham. Para os arquitetos, o ponto alto do projeto é a “integração de peças diferentes e a interpretação do gosto ousado dos clientes, mas de extrema qualidade” e o resultado foi um projeto  “luxuoso e sofisticado, sem ser pretensioso”.

Banco Mocho, de Sergio Rodrigues, Way Design |  Cortinas Uniflex Ipanema

Luminária de piso Arco Lamp, da Flos / Poltrona Berger Saarien, assinada por Eero Saarien, da Novo Ambiente / Mesa de centro Yang, assinada por Ronald Sasson, da Novo Ambiente / Almofadas da Almofadaria Paramento / Ao fundo, CD Player vintage, da Bang e Olufsen / Escultura de pássaro, ao fundo, do Studio Grabowsky

Todos os cômodos foram trabalhados: a passagem do hall para a sala foi ampliada, bem como o vão da porta da cozinha; a área de serviço foi transformada em área de lazer, com sauna e espaço de relaxamento pós-praia; o quarto de serviço foi transformado em closet e incorporado à suíte máster; o banheiro de serviço foi dividido em lavabo e um segundo banheiro menor; e o banheiro social foi reduzido, cedendo espaço para o banheiro da suíte máster.

Como profissional, o que mais gosto é da solução encontrada para o banheiro da suíte máster. O piso de madeira avança até a área da bancada, totalmente integrada ao quarto. Depois, a área do sanitário e banho é separada por uma porta bem leve, em vidro, e revestida em mármore e pastilhas de porcelana. Mais uma vez, um luxo despretensioso, elegante e principalmente atemporal. Quando vamos apresentar um projeto, temos muito cuidado com a manutenção. Não gosto da ideia de usar modismos, de pensar que daqui a 5 ou 10 anos o meu projeto vai estar visualmente insuportável porque eu usei um material ou conceito atrelado à moda”.

Para saber mais, acesse: www.ricardomelo.arq.br