08/08/2019 — Texto: Lara Savana | Fotos: João Morgado

O projeto teve o objetivo de fornecer ao edifício as características de uma arquitetura atual, com novos materiais, novos espaços e novas conexões

Um prédio abandonado ganhou uma nova vida através dos 15 apartamentos e 2 lojas que se conectam por espaços de lazer comuns, como jardins, ginásio e SPA. O projeto é assinado pelo escritório Plano Humano Arquitectos, e une às pessoas ao centro de Lisboa – Portugal, em um edifício com espaços amplos, integrados e cheios de luz natural.

O escritório “abriu”o prédio para o exterior, estendendo em varandas que aumentam o espaço de habitação, deixando interior e exterior em constante diálogo, além de trabalhar a materialidade de acordo com suas características de conforto, robustez e longevidade.

O interior do edifício é minimalista e contrasta quando se conecta com o poderoso exterior feito em madeira termo-modificada.

A madeira é a marca do prédio. O material tradicional e nobre, aliado à tecnologia atual, se destaca no revestimento da fachada, que é dinâmica e se diferencia em cada momento do dia para cada apartamento.

A madeira é aplicada em uma espécie de cortina automatiza, que ao mesmo tempo privatiza os espaços interiores e aumenta a eficiência energética do edifício. A madeira limita ou permite a incidência solar interior, dependendo se é verão ou inverno, o que em uma cidade mediterrânea como Lisboa tem uma grande preponderância no conforto térmico.

Para saber mais, acesse: www.planohumanoarquitectos.com