24/04/2019 — Texto: Lara Savana | Fotos: Maria Claudia Dalpian

O pedido foi que o escritório transformasse a residência em uma imobiliária, sem perder os detalhes da construção original, mantendo a sensação de aconchego do lar

O projeto de reforma é do escritório Estúdio Ike, que criou um espaço comercial em pouco tempo e com materiais de baixo custo, seguindo as exigências dos clientes, que haviam deixado os empregos para empreender e, por isso, precisavam do lugar finalizado o quanto antes.

Segundo a arquiteta Eri Ramos, responsável pela obra, quando foi informada que o imóvel foi construído em bloco de tijolo e poderiam deixa-lo aparente, surgiu a preocupação com a qualidade desse material. “Uma reforma é sempre um desafio e poder aproveitar materiais da construção existente é uma boa oportunidade, mas sem dúvida, é também um risco, pois só vamos saber o real estado de cada material ou instalação, quando começarmos a mexer no local”.

O principal pedido dos clientes foi que o ambiente ficasse aconchegante e acolhedor, sendo receptivo e deixando os futuros clientes à vontade no local. Para dar a sensação de estar entrando em casa e não em um escritório, foi optado por utilizar revestimentos rústicos, como madeira, concreto, tijolo aparente e pedra. Além disso, a instalação elétrica, conduítes e luminárias, ficaram aparentes, gerando uma arquitetura mais contemporânea.

Durante a reforma, houve a remoção de uma parede e acréscimo de outra, para atender a necessidade de todas as salas, que são: recepção/espera, sala de reunião, banheiro acessível, sala dos corretores, copa e circulação.

“Também foi projetado um jardim suspenso, na circulação externa, onde se tem uma visão bacana de quem está na sala dos corretores. Um espaço que eles usam bastante é o quintal, e por isso deixamos uma mesa, banco, poltronas e rede, sendo assim o espaço do café, do descanso ou até da reunião informal”, explica Eri.

Por ser um espaço de trabalho, a iluminação foi pensada de forma eficiente ao mesmo tempo em que não fugisse da proposta de ser um local aconchegante e harmônico. “Optamos por iluminação externa, spots aparentes e direcionáveis. Pendentes metálicos, restaurados, com lâmpadas de filamento, na sala de reunião. Lâmpadas soltas na tela suspensa, na laje da sala dos corretores e iluminação externa, com espetos no jardim”, finaliza a arquiteta.

Para saber mais, acesse: www.estudioike.com.br