Uma casa de fazenda usada pela família nos fins de semana para momentos de lazer e apreciar o maravilhoso pôr do sol

Esta casa de 1530m² fica em Avaré, estância turística no interior do estado de São Paulo, em uma fazenda que se localiza no braço da represa de Jurumirim. Passou por reformas e adequações sob autoria da arquiteta Sandra Sayeg Tranchesi, com projeto de interiores de Débora Stefanelli e Paisagismo de Maria Consuelo Grossi.





A casa original tinha a mesma área construída, mas a arquitetura, a planta e as dimensões dos cômodos estavam desatualizadas e inadequadas para as necessidades dos novos proprietários, um casal com dois filhos. A garagem, por exemplo, tinha uma vista maravilhosa para a represa, enquanto os quartos eram voltados para os fundos.





A princípio, a demolição total era uma possibilidade para a nova sede da fazenda, mas, após uma análise no local, a arquiteta verificou que a antiga casa tinha uma ótima implantação e, por isso, seria possível aproveitar as fundações e a estrutura em concreto, em especial a laje nervurada entre o primeiro e segundo pavimentos. Desta forma, foi possível minimizar custos, movimentação de terra e geração de entulhos.

Com a demolição total das paredes e telhados, a arquiteta criou uma planta livre e simples. A nova casa, agora aberta e toda ladeada por caixilhos de vidro e madeira, passou a privilegiar a vista da represa e do lindo pôr do sol da região, além de garantir iluminação e ventilação naturais.

Também foram implantados sistema de aproveitamento de águas pluviais, painéis solares e instalação de sheds (que promovem a ventilação cruzada), reduzindo consideravelmente o consumo de energia e preservando o bem-estar dos moradores.

Distribuição dos cômodos após a reforma

A casa principal tem dois pavimentos. No andar superior, um grande vão definido por uma cobertura reticulada de madeira e vidro conecta as três suítes com a área social e de serviço. A entrada da casa se dá através deste espaço, que é acessado por uma passarela. Na ala dos dormitórios, pilares e vigas de MLC (madeira laminada colada) foram ancorados na laje existente. Na ala de estar, vigas de madeira, com 14 metros de extensão, foram colocadas sobre os pilares e vigas remanescentes de concreto, formando balanços de 4,5 metros ao longo do grande terraço que circunda a área de estar. No pavimento inferior, a planta tem setorização semelhante ao piso superior, proporcionando privacidade e um outro acesso para quem vem da piscina e da represa. Porém, com dimensionamento adaptado à estrutura de concreto remanescente da construção original.

A nova estrutura para o segundo pavimento, em madeira laminada colada (MLC) de eucalipto, foi escolhida por seu conceito sustentável, sua beleza estética e pela leveza do material. Com peso inferior ao da alvenaria e dos telhados antigos, não houve necessidade de novos cálculos para adequação de projeto estrutural. A MLC é renovável enquanto matéria-prima, apresenta alta resistência mecânica, vencendo grandes vãos e balanços, o que possibilita bastante liberdade no projeto. Por ser industrializada, permite rapidez de execução e limpeza nos canteiros da obra. Já no piso, a arquiteta optou por tecnocimento na cor terra, já que Avaré é conhecida pela terra vermelha.

Já no projeto de interiores, os pedidos dos clientes foram seguidos à risca: lareira suspensa na sala principal, adega climatizada e inserção de cores em pontos estratégicos do projeto, com destaque para a bancada da cozinha em silestone laranja, a estante em laca amarela que “abraça” o sofá do home theater por trás até a altura do encosto, a parede 3D, também amarela, que demarca visualmente a área da mesa de sinuca e parte do mobiliário da piscina, em fibra sintética turquesa.





Gosto de projetar pensando que a arquitetura resolverá grande parte da decoração. O concreto e a madeira se diferenciam e complementam com pesos e sensações opostas. A grande laje nervurada em concreto soma-se à leveza da nova estrutura de madeira. A divisão de espaços do projeto, num jogo de cheios e vazios, também foi pensada para conferir mais leveza à grande dimensão do projeto, que tem 1.530m²”, avalia a arquiteta Sandra Sayeg.

Para conhecer outros projetos da arquiteta Sandra Sayeg Tranchesi, acesse o site www.sandrasayeg.com.br ou visite o Instagram @sandrasayegarquitetura