Texto: AD Comunicação & Marketing | Fotos: Divulgação

Os turistas que visitam a Ilha de Chiloé, na Região dos Lagos e Vulcões, ao norte da Patagônia Chilena, terão a oportunidade de conhecer uma paisagem estonteante, pontuada por inúmeros montes, ilhotas, fiordes e lagos, por meio de excursões especiais que podem ser feitas a cavalo, de barco ou em caminhadas.

Quem oferece esses passeios deslumbrantes é o Tierra Chiloé Hotel & Spa, novo empreendimento da rede Tierra Hotels localizado na Península de Rilán, a poucos minutos de Castro, capital de Chiloé.

Todos os hotéis da rede seguem a mesma assinatura, internacionalmente reconhecida por oferecer estrutura com design de vanguarda totalmente inserida em paisagens mágicas, transformando a hospedagem em uma experiência inesquecível em meio aos mais importantes e belos destinos do Chile.

O Tierra Chiloé recebeu destaque na Hot List do Condé Nast, na lista de Travel + Leisure e em Fodor”s 100, surpreendendo por sua arquitetura, tão nobre como vanguardista, que resgata a identidade da Ilha.

Obra da Mobil Arquitectos (Sebastián Morandé, Patricio Browne e Antonio Lipthay), o hotel foi construído em 2011 com o nome de Refugia, com uma superfície de 1.250 m², localizado em um terreno de 10 hectares com saída para o mar. A arquitetura inspirada nas tradicionais “palafitas” da ilha (casas construídas sobre pilotis a beira-mar), a estrutura apresenta um desenho geométrico sustentável, que oferece um ambiente íntimo e acolhedor. Após um longo estudo sobre as condições do terreno, o design do hotel permitiu otimizar a energia natural.

Seguindo antigas técnicas de carpintaria, o hotel foi revestido com clássicas telhas de madeira de alerce, um trabalho realizado junto à comunidade local. Por seu compromisso com a sustentabilidade, o hotel conta com o selo S de Sernatur e oferece 12 apartamentos de 30 , localizados no piso superior, com vista panorâmica para o mar interior.

Entre os passeios oferecidos, outro destaque é a navegação a bordo da Williche, uma embarcação própria feita de madeira e construída por carpinteiros locais. Desse modo, os turistas podem reviver a história e percorrer os mesmos trajetos dos nômades que habitavam a região. Os tours duram de seis a sete horas e acontecem sempre que as condições meteorológicas permitem. 

Um dos roteiros começa com uma visita a Chonchi, onde estão grandes casas antigas, um museu e a Igreja de San Carlos, declarada Patrimônio Mundial pela UNESCO, e inclui ainda passagens pelas ilhas Lemuy, Chelín e Quehui. O segundo passa pelo povoado de Tenaún, pela ilha de Mechuque, onde se navega por canais com vistas para pequenas ilhas, e pelo povoado de Mechuque.

Para quem prefere excursões terrestres, a dica é um passeio de van até o povoado de Rilán, onde se pode fazer uma caminhada por trilhas com vistas para as ilhas do arquipélago e outros povoados menores. Para os mais aventureiros, há ainda as cavalgadas que mostram o que Chiloé tem de mais interessante: a praia, as casas típicas, os povoados e as aves migratórias. 

— www.tierrachiloe.com