Texto: Tiana Ribeiro | Fotos: Alex Filz

O Hotel Valentinerhof está localizado no município de Castelrotto, nas proximidades da famosa Alpe di Siusi, Dolomites, província de Bolzano, Itália, cerca de 1200 metros acima do nível do mar. O negócio familiar foi desenvolvido e ampliado através de uma nova área de spa, um hall de entrada com um bar e 14 suítes espaçosas e, assim, foi aumentado em 1100 metros quadrados.

O conceito arquitetônico foi para sublinhar e reforçar a impressionante paisagem alpina circundante através da inserção de volumes construídos cuidadosamente em harmonia com a paisagem natural, intermediando com a tradição local e de acordo com a natureza onipresente. A nova extensão do hotel está dividida em dois volumes menores que formam uma arena orientada para o Vale do Sul e se abre para o maciço rochoso próximo à Montanha Schlern.

O contraste entre a largura da bacia de Bolzano e a presença imponente da Montanha Schlern é trazido de volta para ambos os fragmentos do edifício, a fim de criar um diálogo formal e funcional. Ao mesmo tempo, a vista, o panorama e a silhueta da montanha continuam sendo o principal ponto focal. O hotel alcança um atributo significativo para sua nova identidade através da criação da nova área de bem-estar; o elemento água torna-se parte integrada do conceito de arquitetura, design de interiores, bem como todos os produtos e móveis.

Entre as silhuetas suaves da paisagem montanhosa, a terra se torna um habitat principal que é suavemente indicada por elementos de madeira discretos que estão complementando a construção sólida, anexando-se na fachada principal. O revestimento de pedra natural e as molduras de madeira são refletidos pelos painéis de vidro que se afundam até a piscina, lago e marinha.

A inspiração para a forma da fachada foi elaborada pelas tradições de construção locais de Castelrotto, como “heuharpfen” (as casas de alimentação nas fazendas) e as cercas de madeira antiga. Os painéis de madeira irregulares em diferentes comprimentos encerram a paisagem circundante. Como consequência, os espaços internos (terra) e externos (paisagem)  tornam-se uma só paisagem, evocando sentimento de segurança na sensação do visitante. Painéis de vidro de altura dupla e amplos terraços acentuam a interação do interior e do exterior – do edifício e da paisagem.

Outro elemento fascinante utilizado pelos designers foi o típico “Heutücher”, pano de linho antigo que aquece e faz a separação sutil de terraços da sala. Além disso, a ligação de vários terraços é facilitada simplesmente removendo diversos panos.

As amplas janelas dos quartos permitem o ganho ideal de energia solar a este nível do mar, além de dar ao convidado a sensação de dormir ao ar livre, desfrutando das excelentes vistas ao acordar. Cada quarto contém um grande futon e é completado pelo pano de linho tradicional, feito de um tecido de até 90 anos, manualmente tecido num tear de 1901.

A área de bem-estar é composta por uma piscina principal e sauna. A piscina tem uma área de entrada interna e está ligada à piscina externa, que tem borda infinita com queda de 15 metros caindo generosamente para um terraço cheio de espreguiçadeiras que convidam para relaxar e desfrutar do panorama maravilhoso.

A sauna finlandesa, uma sauna de ervas, banho de vapor e diversas salas de relaxamento e de sono completam a parte oriental do edifício. Tem uma grande janela panorâmica de 270 graus e está localizada no mesmo nível do lago natural exterior e essa vista panorâmica dá ao hóspede a sensação de estar dentro da superfície do lago. Também no interior do banho de vapor, que é a única sala sem aberturas para o exterior, o elemento água é onipresente. Ela escorre por uma parede oblíqua e varre a luz, que sai de cubos de pedra, ao longo da parede. O som da cascata é calmante, cativante, encantador.

Mobiliário, Iluminação, design de interiores, arquitetura e paisagismo – cada elemento foi concebido e desenhado por noa* com a filosofia de design holístico, produzido com um máximo de paixão, atenção aos detalhes, tradição e artesanato local. O recurso interno de maior desafio foi a produção de um objeto de iluminação que reflete a alma humana. Ele foi desenvolvido com a colaboração de um soprador de vidro romano e um designer alemão. Em forma de gotas, foram preenchidos com água e oscilam para baixo do teto da escada que liga os quartos às áreas de lazer.

www.noa.network | www.valentinerhof.com