Texto: Rock Zanella | Fotos: Divulgação

Pedro Useche, venezuelano, arquiteto, designer, gênio inventivo das máximas ocultas da arquitetura explícitas nas formas de suas criações, radicou-se no Brasil no ano de 1984 trazendo em sua bagagem uma criatividade incansável e uma originalidade única.

Filho da belíssima Venezuela, com todas a sua exuberância espalhada por praias caribenhas e terra do petróleo cobiçada por olhos do mundo inteiro, Useche formou-se arquiteto pela Universidade Central da Venezuela e se especializou nos Estados Unidos quando começou a desenhar os primeiros móveis para a sua própria casa. Desde então, busca ser fiel ao seu conceito que define a máxima Usechiniana – “Mobiliário trabalha-se com cheios e vazios, em diferentes escalas!”.

“A forma ocupa o equilíbrio dos cheios e dos vazios!”

Com a abertura do seu escritório-ateliê na cidade de São Paulo, a partir da década de oitenta, Useche passa a integrar o corpo de uma nova geração que viria a redesenhar a identidade do mobiliário nacional, juntamente de Carlos Motta, Isay Weinfeld e outros nomes de igual importância. Arrojado em seu perfil de “criador”, o designer/arquiteto trilhou seu caminho de forma singular, sendo reconhecido a quilômetros apenas por suas formas inconfundíveis – impossível fitar um móvel de Pedro Useche sem deixar de reconhecer que só poderia ter sido “inventado” pelo próprio. Mesmo um leigo, quando passa a conhecê-lo, no momento seguinte já o reconhece citando o clássico clichê “Isto é um Useche!”, tal a personalidade de sua obra.

O seu trabalho começa a ganhar destaque nacional no ano de 1990 quando o arquiteto veio a ser premiado com a Menção Honrosa do Museu da Casa Brasileira (MCB) pela apresentação de sua cadeira “Mulher” – a qual é desenhada na madeira com o formato que faz alusão ao par de seios femininos. Ainda na década de noventa, Useche recebe outra Menção Honrosa pela apresentação de sua cadeira “Grillo”. A partir de então, o senhor Useche passou a colecionar prêmios e ovações que fizeram dele um dos mais notáveis talentos do design de mobiliário nacional, dentre eles o 1o Prêmio Joaquim Tenreiro, com o minimalista Revisteiro EIXO (1998), 1o Prêmio Brasil Faz Design, na categoria manejo sustentável, com a cadeira 20R (2000), o prêmio nacional da Abimóvel, com o banquinho 3L (2001), prêmio Ecodesign, com a inigualável cadeira Flexus (2004), além de mostras e bienais dentro e fora do Brasil, como a Mostra Brasil Faz Design (Milão) e a Bienal Internacional de Arquitetura da cidade de São Paulo.

A busca incansável da estética frente ao limite da funcionalidade aparece nas formas que confere às suas cadeiras, mesas, bancos, poltronas e tantas outras peças singulares que trabalham a madeira como sustentáculo ímpar de sua autoria, levitando entre a tensão do material em seu limite máximo. Useche força os seus limites para oferecer uma forma única em seus inventos. O que mais se destaca em seu trabalho são as soluções ousadas, como o sistema de fixação do Revisteiro EIXO7, a estrutura de madeira da linha FLEXUS (esta inspirada num momento “eureca”, quando Useche se espelhou na sustentação das muletas) e a exploração do material além do seu limite de resistência na linha “R”. Desenvolveu, a partir de suas buscas e pesquisas incansáveis, sistemas construtivos que permitem a execução de “famílias de móveis”. Fabricado pela grande produtora de Móveis de Design em nosso país, a empresa MAIS DESIGN, seus trabalhos são cada dia mais e mais exclusivos e atingem uma “plateia” extremamente exigente.

Hoje, Useche figura como o principal e mais sofisticado designer de mobiliário disponível em solo brasileiro, sinônimo de elegância e bom gosto para um público exigente e acostumado aos desafios do que atinge o belo além das simples formas recomendadas aos mortais comuns. Ter um Useche em sua sala, quarto, hall ou mesmo jantar ou cozinha, distingue sobremaneira o gosto e a personalidade de um projeto – é definitivo o afinamento do olhar para aquele que se conecta à sua obra como um todo. Não existe regresso após o contato com os seus bancos e cadeiras com assento no raybam ou as suas poltronas que parecem flutuar e suas estruturas que pesam sobre finas madeiras e delicados pinos de metal.

Sorte nossa este venezuelano ter nos brindado com a genialidade de sua criação e tê-la radicado na nossa pátria. Por causa dele, podemos hoje nos orgulhar de possuir uma das mais incríveis estéticas no design de móveis que, por acaso, leva a sua assinatura – PEDRO USECHE (DO BRASIL)!