29/06/2017 — Texto & Fotos: Divulgação

A 31ª edição da CasaCor São Paulo apresenta as principais tendências do universo da arquitetura, design e paisagismo em 69 ambientes com projetos que apresentam o que é realmente essencial para viver bem.

Serviço:

Período: de 23 de maio a 23 de julho
Horário: Terça a domingo, das 12h às 21h
Local: Jockey Club de São Paulo
Endereço: Av. Lineu de Paula Machado, 1075 | Cidade Jardim
Ingressos:
De terça a quinta-feira
Ingresso inteiro: R$ 56
Meia entrada: R$ 28

Sexta, sábado, domingo e feriados
Ingresso inteiro: R$ 70
Meia entrada: R$ 35

Passaporte único: R$ 165
Valet: R$ 35,00

Mais Informações: casacor.abril.com.br

Jardim e Bilheteria da Luxúria — Marton Estúdio

A instalação Jardim da Luxúria é uma experiência que se estende desde a entrada até a Bilheteria da Luxúria. Criada a partir da planta de um labirinto, com suas paredes erguidas verticalmente e revestidas de espelhos em todas as suas faces, o projeto tem como objetivo criar provocações nos visitantes por meio de seus reflexos. Nas duas paredes espelhadas de entrada, a frase adesivada “É PROIBIDO FAZER SELFIE” faz parte do processo provocativo sobre o comportamento contemporâneo das pessoas quando se deparam com um espelho e um celular em mãos.

Tartuferia — Gustavo Jansen

Dividido em salão, bar e cozinha, o espaço é composto de elementos rústicos como a madeira do piso e o couro de um extenso tapete. A cozinha espelhada e high-tech remete à excelência da gastronomia contemporânea; já o salão conta com elementos campestres. O bar do ambiente é coberto de carpete azul e conta com mobiliário e luminárias dos anos 1960 com formato de alcachofra, que proporcionam uma atmosfera retrô.

Pátio das Tabocas — Alexandre Furcolin

Inspirado na versatilidade e conceito do bambu, o espaço traz um bosque que conta com cerca de sete espécies da planta. O jardim surpreende por aguçar os sentidos humanos com texturas, sons, sombra e luz natural, que criam um jogo cênico que ressalta a simplicidade e a poesia presente no espaço. Mais de 500 touceiras ajudam a criar essa atmosfera, que induz os visitantes a percorrerem o bosque de bambu. Entre as espécies de bambus usadas por Furcolin, destacam-se brasil, anão, quadrado, barriga-de-buda. Símbolo da multiplicação e da generosidade, no Japão e na China acredita-se que o tronco oco dessa planta serve de morada aos deuses.

Jardim do Estúdio Bossa — Mauro Contesini

Com características minimalistas e cenário clean, o jardim é situado entre três espaços e une diferentes ambientes. Dispõe de jabuticabeiras e traz uma estética inspirada num jardim francês, proporcionando delicadeza por meio do uso de floreiras de aço corten, bancos de bambu e vasos com topiarias – arte de podar plantas em formas ornamentais – de espécies como o louro e o viburno.

Hall de Entrada — Natália Marchioni e Pamela Giannetti

O hall de entrada é a transição do exterior para o particular. As arquitetas puderam ousar e garantir personalidade, tornando o ambiente agradável e convidativo. A inspiração partiu do ponto de criação de um hall impactante que combinasse estilos diferentes entre si, dessa forma criando um espaço único e exclusivo, levando em consideração as tendências de cores e materiais. O diferencial do projeto é o lustre desenvolvido exclusivamente para o hall, composto de 25 tubos de ferro preto fosco, com alturas variadas e pequenas lâmpadas de LED, no qual o foco é direcionado para baixo, iluminando os muranos sobre a mesa.

WC Unissex — Mara Liz Ferrentini

O desafio de equilibrar um banheiro pequeno, aberto ao público e unissex foi respondido com o bom uso de jeans, que cobriu todas as paredes e foi inteiramente grafitado pelo artista Samir Mauad. Do outro lado, vasos-cabeça sem rostos e com vegetação, exploram ainda mais a pluralidade e a diversidade. O banheiro, de 35m², tem o piso revestido de azulejos brancos e azuis, o mais prático e simples possível, deixando o ambiente com ar descolado de street art.

Espaço Ttera Eventos — Gui Mattos

O desafio para a concepção do projeto foi o de criar um local com identidade forte e inesperada, que pudesse acolher diferentes eventos, dentro de um espaço originariamente bastante estreito, comprido e com pé-direito generoso. A chegada faz-se subindo pela arquibancada do Jockey, que se encontra repleta de vegetação, remetendo para uma colina de floresta, um espaço natural. Ao entrar no local, descobre-se uma sucessão de espaços, caracterizados por um desenho de cobertura bastante expressivo, por uma geometria precisa e pela escolha de materiais menos valorizados, próprios de canteiros de obra.

Miragem — Lao Design e Plantar Ideias

Pensar o habitar urbano, a vida lá fora, esse objetivo em comum serviu de inspiração e ponto de partida para o projeto. A intervenção buscou desenvolver espaços de estar onde os visitantes possam aproveitar um momento de tranquilidade, descansar e recarregar as energias. Aproveitar para olhar a cidade de outro ponto de vista, compreendendo as belezas de estar em uma natureza urbana. Neste espaço de 250m² a experiência se faz com a imersão nas peças e na paisagem. Ele foi projetado com grandes lounges com mobiliários que mesclam a rigidez das estruturas metálicas com a naturalidade das plantas, o concreto e o inox, inspirados na materialidade dos prédios.

Jardim dos Terraços — Clariça Lima

O jardim compreende quatro canteiros de 16m² e três jardins verticais com quase 2,5m de altura e 4m de largura. Ao todo, mais de 600 vasos de plantas com espécies semiáridas – como ripsális, cactos e flor-de-maio – encantam os olhares e fogem do óbvio. A estrutura do espaço possibilita a brincadeira entre os vasos com as plantas, que conforme são realocados modificam o desenho do painel. A ideia é mostrar que este tipo de jardim pode ter uma infinidade de possibilidades e ser ajustado ao espaço, área interna ou externa, com imensa variedade de plantas. A iluminação com mangueiras de LED finaliza o charme do ambiente.

A Poesia do Espaço — Ricardo Bello Dias

Inspirada nos ensinamentos de Ricardo Bello Dias, a instalação conta que vai do chão ao teto, onde existe uma escada. Pranchas de madeiras que compõem as pisadas parecem flutuar e são suspensas por cabos de aço. Quem olha para a instalação de frente tem a sensação de que ela conduz ao infinito.

Praça Urbana CasaCor — Ricardo Pessuto

O projeto expõe soluções que levam o consumidor a se preocupar com o design, sua função, forma, experiência e sobrevivência no cenário atual. No jardim de 535m² a ideia foi projetar um espaço usual, aconchegante e sem modismos. Projetado para ser uma praça ideal para convivência, o ambiente pretende resgatar memórias afetivas dos visitantes, assim como desempenhou para o paisagista. O local conta com layout fluido composto de dois lagos ornamentais, que, além de aproximar as pessoas da natureza, apresentam baixo consumo de água e energia.

Casa do Chef — Yara Cianci e Pat Varago

O projeto de 130m² é pautado na funcionalidade e praticidade com ênfase na ergonomia aplicada para atender toda a família e todas as idades. Um dos objetivos foi reduzir o número de “passos” no ambiente, ou seja, deixar tudo à mão, onde a cozinha vem até você, e não o contrário. O foco do ambiente é a sustentabilidade na cozinha, assim, foram aplicadas várias soluções eficientes, como uso do verde, reaproveitamento da água para regar a horta, sugestões de reciclagem, entre outras. Todas aplicáveis no dia a dia das pessoas.

Boulangerie — Alessandra Castro

O ambiente é inspirado na azulejaria de Portugal e tais características são destacadas no tapete da mesa central e no revestimento da parede de entrada, que trazem ladrilhos hidráulicos e estampa floral. Com predominância em azul e branco, a profissional teve como preocupação a acústica e, portanto, foram inseridos baffles – um forro feito a partir de garrafas PET -, que formam ondas no teto, absorvem e diminuem o som. Panos de vidro integram o interior com a paisagem externa.

Restaurante CasaCor — Patrizia Genovese e Guilherme Longo

A decoração do espaço, que tem 400m², faz um delicioso passeio ao passado, mais precisamente aos restaurantes franceses com décor retrô-chic, estilo que marcou o período entre os anos 1920 e 1950 na Europa. Tendências importantes estão inseridas em cada canto, caso dos mármores italianos das mesas by Polo Mármores e do travertino da Palimanan, que veio diretamente da Turquia para a fachada de estilo french pattern. Há ainda muito dourado, empregado no mobiliário da Breton, e tons de rosa-pálido e verde-greenery, cor do ano da pantone, nas cadeiras do Badebec.

Café Experiência — Marilia Pellegrini

O objetivo do ambiente surgiu a partir do desejo de criar um espaço para experiências em torno da celebração do café. A escolha de taipa de pilão como paredes estruturais foi a ideia protagonista. Elas remetem à época do ciclo do café no Brasil, quando era o sistema construtivo mais comum nas regiões de cultivo do Vale do Paraíba. As aberturas do espaço foram criadas por meio de grandes portões com desenhos de grãos, mimetizando os gradis da grande reforma do Jockey da década de 1960, que ainda celebrava o período áureo de cultivo e exportação do café no país.

Loja mmartan / casa moysés — treszerosete

A partir de uma loja conceitual e high-tech, a mmartan oferece uma experiência sensorial, obtida por meio de alta tecnologia e interação direta com o usuário. Os arquitetos partem da premissa fundamental que impulsiona e estimula a compra de produtos no segmento: o tato. São 32m² destinados a promover as plataformas digitais da marca, como o site recém-lançado e que possui a tecnologia Omni Channel – recurso inovador que integra lojas físicas, virtuais e o cliente, explorando inúmeras possibilidades de interação.

Experiência Abril — José Luiz Favaro

O projeto traz como desafio a ilustração do desenvolvimento das marcas do Grupo Abril. Trata-se de um lounge composto de referências às mídias impressa e digital. Com uma entrada feita de eucaliptos, o interior do espaço conta com placas cimentícias e de MDF no piso, parede e teto, que mesclam tradição e contemporaneidade. O arquiteto valoriza o essencial e grande parte dos materiais usados pode ser reaproveitada. Além disso, os gadgets, que representam a digitalização da informação, têm como função explicar a atuação das unidades do Grupo.

Loja CasaCor — Marton Estúdio

A loja, criada com foco na experiência de varejo, foi inspirada nas lojas de museus e pop-up ao redor do mundo. A economia nas matérias-primas, a repetição das formas e o minimalismo em escala industrial bem inseridos fazem dos produtos de curadoria de José Marton e da equipe Marton Estúdio os protagonistas do espaço. Possibilitando o reúso do mobiliário após o término da CasaCor 2017, será recriada em um novo espaço. A pintura da fachada, que permeia o pórtico e suas paredes internas, interage com o mobiliário da parede e do piso, conduzindo o visitante a uma experiência lúdica de compra.