02/07/2016 — Texto Sandro Prezotto | Fotos Elson Yabiku

Uma casa mais espaçosa e confortável, mas que proporcione uma melhor interação entre os ambientes, para que as pessoas não fiquem isoladas em lugares fechados.

Esse foi o pedido que o arquiteto Rodrigo Latorre recebeu de seus clientes, um casal com uma filha adolescente. “Sempre buscamos definir, em conjunto com o cliente, qual será o partido arquitetônico da residência e não impor formas ou conceitos. Por isso, nossos projetos não costumam ter a cara somente do arquiteto, mas nascem da fusão entre a arquitetura e os anseios do proprietário”, declarou Rodrigo.

“Nosso objetivo está em simplificar a forma de viver das pessoas e assim trazer modernidade aos trabalhos. Isso se reflete nesse projeto. Internamente, com espaços contínuos e fluidos. Externamente, com essa arquitetura de volumes e planos, sem adornos excessivos e rebuscamento, que acabam se afastando da vida moderna”.

Na fachada, com quase 50 metros de testada, o grande desafio foi criar formas que não poluíssem o visual. “Surgiu então a ideia de criar grandes volumes que se transpassam e, ao mesmo tempo, ganham leveza pelos balanços e vidros. A mescla de painéis de madeira, volumes em concreto e elementos brancos dão movimento e fluidez”.

Antes de chegar ao Living, com 7 m de pé direito, passamos pelo Hall de Entrada, criado em desnível para facilitar o acesso de quem vem da rua. “O móvel criado na parede frontal cria um efeito especial com as duas escadas laterais. A peça serve como prateleira para alguns objetos de decoração, mas vira um degrau em madeira quando se encontra com as escadas”. Em composição, a escada, que leva à área íntima, foi projetada em aço pintado de preto, com degraus de madeira em balanço.

“Todo o mobiliário foi planejado e desenhado pelo nosso escritório, com um destaque especial ao móvel do hall de entrada, que se complementa no lado oposto com o móvel da Sala de Jantar e adega”.

Planejados em uma ambientação elegante, com móveis modernos e aconchegantes, Living e Sala de Jantar se integram como um único espaço. A Cozinha e o Escritório também se comunicam com a área social, mas podem ser isolados pelas portas de correr em madeira.

Na Cozinha, a cor branca prevalece em harmonia com móveis de design e eletrodomésticos de alta tecnologia. O Gourmet surge então como uma extensão natural, com um toque mais rústico e aconchegante para receber a família e os amigos. Para os acabamentos, Rodrigo ressalta que a casa toda, incluindo-se as suítes, salas e a cozinha, recebeu um mesmo tipo de porcelanato. “Com isso, conseguimos reforçar ainda mais a ideia do projeto, como um espaço contínuo e fluido. Dois painéis, na cozinha e no gourmet, foram revestidos em placas cimentícias com desenhos para dar graça e um efeito visual diferente nessas áreas”.

Na área íntima, foram criadas quatro suítes, duas delas com closets bem generosos. “Todos os quartos se abrem para o jardim da piscina. Na fachada, as suítes formam o volume branco em balanço que fica sobre a garagem e atravessa o plano até cobrir a porta de entrada social”.

O Closet do Casal é o espaço de sonhos de qualquer mulher. “Nós tínhamos um bom espaço e meus clientes desejavam algo que não se parecesse com um corredor, mas uma sala de vestir. Por isso criamos a ilha rodeada por armários, revestidos em laca ou com espelhos”.

A fachada posterior da casa, repleta de vidros, se abre totalmente para a área social e íntima com a proposta de captar a luminosidade e interagir com o espaço de lazer, composto por jardim e piscina com deck.

“A topografia do terreno permitiu que todos os ambientes da casa ficassem alinhados, se abrindo para o fundo”.

Ainda nos fundos, o arquiteto criou um muro de arrimo diluído em pequenos taludes, que ajudam a quebrar visualmente a impressão de uma parede única com muitos metros de altura.

A iluminação também mereceu uma atenção especial no projeto. “Sempre procuramos valorizar ainda mais a arquitetura através de jogos de sombras e luzes”.