27/06/2017 — Texto: Divulgação | Fotos: Kiko Masuda

A cobertura de 400m² fica no 6º andar (sendo 170 m² de área interna e 230m² de área externa. Pé direito no living 4,30m e nos outros ambientes 2,50m) localizada na Riviera de São Lourenço, litoral norte de São Paulo, foi comprada na planta e modificações já começaram a ser feitas antes da construção terminar.

Por já serem clientes antigos, casal e filhas entregaram o projeto de olhos fechados ao arquiteto Toninho Noronha, confiando em seu bom gosto.

“A minha história com esta família de clientes é bem interessante. Em 2000, mãe e filha mais velha visitaram a Casa Cor São Paulo, e ao verem o Quarto do Rapaz que eu havia projetado a filha disse à mãe que no apartamento novo que eles haviam comprado, quando chegasse a hora do projeto de interiores, quem faria o quarto dela seria aquele arquiteto, pois ela queria um igual àquele. Um ano depois, toda a família veio ao meu escritório, conheceram melhor o meu trabalho, a empatia foi imediata, e acabaram me contratando para fazer todo o projeto do apartamento. Depois disto repaginei a casa de campo deles, e, na sequência fizemos esta cobertura” – diz Toninho

Apesar de ser um apartamento de veraneio, ele está localizado em uma praia bem urbanizada, então não caberia aqui um projeto rústico, com cara de casa de pescador.

O arquiteto decidiu fazer algo bem contemporâneo, com móveis de design bem atual, porém claro e leve, usando referências e cores (branco, turquesa, laranja) que remetessem à praia.

As principais mudanças feitas em planta foram na varanda. A piscina original possuía outro formato e medida, e estava em outra posição.

Ela foi reposicionada para que ficasse em frente ao living, criando uma maior interação entre estes dois ambientes, e seu tamanho diminuiu para aumentar a área de convívio. A cozinha e a churrasqueira gourmet também não existiam no projeto original e foram criados pelo arquiteto.

No living impera a integração total de ambientes, como é comum nos projetos de Toninho.

“Gosto de projetos aonde as pessoas possam interagir mesmo que um esteja na varanda, outro no living e outro assistindo à TV no home theater. Se nos anos 90 os membros das famílias começaram a se enclausurar em seus quartos individuais, no novo milênio os arquitetos e designers de interiores tiveram um papel muito importante nesta reintegração”

O pé direito alto do living e as portas de vidro permitem que o apartamento esteja sempre bem iluminado. Cortinas tipo rolô de tela solar e cortinas de linho branco foram utilizados para evitar o excesso de sol.

Sobre o pergolado da varanda, localizado na área da churrasqueira, foi colocada uma cobertura de vidro para que a área possa ser usada mesmo na chuva.

Segundo o arquiteto o maior desafio foi encontrar a madeira de demolição (canela). Todas as amostras que encontravam eram muito amareladas. Mas com muita busca foi possível encontrar a madeira ideal para o projeto.

www.toninhonoronha.com.br