Texto: Cobogó – Relações Públicas | Fotos: Julia Ribeiro

O que poderia ter sido um empecilho, foi a solução encontrada pelas arquitetas Sarah Bonanno e Marina Cardoso de Almeida, sócias do Tria Arquitetura, para o projeto de reforma deste apartamento, em São Paulo. As paredes estruturais de concreto foram descascadas pelas arquitetas e levaram um equilíbrio perfeito entre construção e interiores, marcado pelo uso de tons de cinza, azul e mostarda.

Com 110m², esta foi a primeira reforma do imóvel desde sua construção, na década de 70. O partido arquitetônico, segundo as arquitetas, veio com a confirmação de que as paredes estruturais precisariam permanecer.

No novo layout, a área de serviço ficou menor e deu espaço a um home office, integrado à área íntima do apartamento. A cozinha também foi integrada à sala de jantar e à sala de estar. Na área íntima, foram mantidos os dois quartos, mas um deles deu espaço à sala de TV do jovem casal.

Para suavizar a existência do concreto, as arquitetas optaram pelo uso de cores em tons neutros e complementares. Na cozinha, usaram revestimentos que também aparecem em outras áreas para que não houvesse uma ruptura estética e que fosse uma continuação da sala de jantar. Na área social e íntima o piso de taco de madeira original foi mantido, mas passou por uma restauração.

A busca pelo equilíbrio foi o grande guia deste projeto. Se a decoração fosse feita em tons escuros, o resultado seria algo mais bruto e pesado, o que não era o objetivo do cliente. Por isso, apesar do elemento concreto, a marcenaria e mobiliários seguiram a mesma linguagem suave em todos os espaços. Muita madeira, marcenaria em tons pastéis e mobiliário em tons mostarda e amadeirados levaram a suavidade desejada ao projeto.

O apartamento conta ainda com três banheiros – dois sociais e um lavabo (sendo que todos revestimentos também foram trocados). Um deles teve a área de banho toda revestida em deck de madeira, dando um toque moderno e aconchegante ao ambiente.

www.triaarquitetura.com.br