Texto: Publicar Assessoria | Fotos: Sidney Doll e Divulgação

Uma parede bem decorada dá vida ao ambiente. Segundo a arquiteta e designer de interiores Fernanda Hoffmann, uma das formas é criar uma composição de quadros, uma opção para todos os tipos de cômodo e que pode ser feita de diversas maneiras.

Confira abaixo algumas dicas da especialista:

1) Altura Certa
De acordo com Fernanda, deve-se ter em mente uma altura pré-estabelecida. “A mais comum é de 1,60m contando a partir do chão até o meio do quadro. Não é uma medida obrigatória, mas é uma dica para começar a pensar nesta forma de disposição, já que é a posição que a maioria consegue apreciá-lo”.

2) Posicionamento
É fundamental prestar atenção no mobiliário do espaço. Se for colocar o quadro na sala, eles devem ficar pelo menos 25cm acima do sofá. O mesmo vale para os quartos, em relação à cama, aparadores, mesas de jantar, etc. No caso de escadas, os quadros devem acompanhar sua inclinação.

3) Simetria
“Não acredito que a posição dos quadros deve ser simétrica. Um exemplo é que os quadros não precisam estar pendurados na parede, podem estar apoiados na mobília, prateleiras e até mesmo no chão”, afirma a especialista, que ressalta a importância de testar as peças antes de furar a parede para ver se gosta da composição. Não existe regra, é uma questão de gosto.

4) Molduras
A escolha é livre, não é necessário seguir um estilo só. É importante observar a decoração geral do ambiente, fazendo com que haja um equilíbrio com o todo. “As molduras não precisam ser todas iguais, pode-se misturar quadros com e sem molduras, mas é fato que as semelhantes produzem um efeito mais clean. Modelos variados criam uma textura maior e pede uma decoração mais limpa no restante do espaço para não sobrecarregar. Não necessariamente precisa de um quadro com foto, a composição apenas com molduras também é interessante”, orienta a designer.

5) Valorização de Espaços
Uma boa solução é criar uma galerias de quadros em corredores, que normalmente são “sem graça” e onde não podemos usar móveis para não atrapalhar a circulação. O uso de espelhos atrás dos quadros também é interessante para criar a sensação de amplitude. Para não furar os espelhos, uma saída são os adesivos da 3M.

6) Proporção
Antes de furar a parede é necessário pensar na proporção dos quadros para que se preze a organização. “Uma opção é o uso de moldes para testar o que fica ou não bonito. Para alinhar quadros de medidas diferentes, use um referencial: alinhe todos por cima ou por baixo”, indica a especialista.

7) Prioridade
Obras de arte de maior importância devem ocupar local de destaque, como o hall de entrada ou sala principal. Obras pequenas podem ser agrupadas em uma parede só.

8) Tendência
Os quadros coloridos, com efeitos em 3D e geométricos estão em alta. “O truque é combiná-los com uma base mais neutra ou, para os mais ousados, com outros padrões e estilos. Outra opção é a impressão de gravuras, mais em conta do que o quadro pintado a óleo, por exemplo”, indica Fernanda.

9) Cuidados
· O sol pode causar rachaduras na tinta, manchas e marcas algumas vezes irreversíveis;
· Para que os quadros não marquem as paredes, coloque pedaços de cortiça no verso, nas extremidades inferiores;
· Não use produtos químicos, álcool ou água na limpeza. Utilize um pano macio para remover a poeira. Para limpezas mais complexas, contrate um profissional;
· Fique atento a infiltrações ou mofo nas paredes, que podem danificar os quadros;
· Embale-os com cuidado ao transportá-los e fique atento na hora de posicioná-los em caixas.

10) Iluminação
Usar arandela sobre um quadro dá um efeito interessante. “O único cuidado é a escolha do tipo de lâmpada: se for quente pode estragar a pintura a óleo, por exemplo. Não é recomendável usar esse artifício nos casos de galerias com vários quadros, pois fica carregado demais”, finaliza Fernanda.

www.fernandahoffmann.com.br