Afissore

Texto Sandro Prezotto

Entidade atua para colocar o sorriso na boca de milhares de pessoas

Há 25 anos, a Afissore (Associação dos Fissurados Lábio Palatais de Sorocaba e Região) tem como missão reabilitar as pessoas com fissuras labiopalatinas, promovendo a autoestima, autonomia, saúde, dignidade e bem-estar social, visando sua inserção na sociedade de Sorocaba e Região.

Com um trabalho sério e responsável, a entidade se orgulha em dizer que já ajudou a colocar o sorriso na boca de mais de mil pessoas em parceria com o Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais (HRAC), em Bauru, e com o Hospital Sobrapar, em Campinas.

A Afissore conta com mais de mil cadastrados e recebe aproximadamente 31 casos novos por ano. O trabalho visa mudar a perspectiva de vida destas pessoas por meio de uma equipe interdisciplinar, que atua na própria Associação, composta por profissionais das áreas de Odontologia, Psicologia, Fonoaudiologia, Nutrição e Serviço Social.

A fissura labiopalatina é um tipo de anomalia craniofacial comum. Uma criança, a cada 650 nascimentos, apresenta essa malformação. O lábio leporino ou fissura labial é uma abertura no lábio superior. A fenda ou fissura palatina é o fechamento incompleto do céu da boca, isto é, a criança nasce com o céu da boca aberto.

As fissuras podem afetar apenas um dos lados do lábio ou os dois e variam desde formas mais leves, como uma cicatriz labial, até formas mais graves, como as fissuras completas de lábio e palato, que podem afetar a amamentação, a fala, o desenvolvimento e o crescimento da face.

Entre os fatores que podem favorecer a formação de uma fissura labiopalatina, o mais comum é o genético. Fatores ambientais, como medicamentos sem controle médico, uso de drogas, desnutrição e anemia da mãe, estresse, exposição a raios-x abdominal, nos primeiros meses de gestação, também podem contribuir para o surgimento da malformação. Em alguns casos, a mãe pode descobrir que seu bebê tem fissura ainda durante a gravidez, com exames do pré-natal, geralmente por meio do ultrassom.

O tratamento adequado envolve uma equipe multiprofissional que possa atuar de forma integrada. Antes das primeiras cirurgias, que devem ocorrer nos primeiros meses de vida, é preciso saber que é perfeitamente possível amamentar o bebê com fissura labiopalatina.

As consequências da fissura labiopalatina na vida de uma criança vão além da estética. Podem causar problemas auditivos, infecções crônicas, má nutrição, malformação da dentição e dificuldades no desenvolvimento da fala. Frequentemente observa-se o abandono escolar e a baixa da autoestima, ocasionando também problemas psicológicos. O importante é que essa malformação é perfeitamente tratável. Com o atendimento adequado, a maior parte das pessoas pode viver normalmente.

A Afissore é uma entidade beneficente sem fins lucrativos. Os trabalhos de reabilitação das anomalias craniofaciais dependem de ajuda de empresas e pessoas físicas para acontecer com sucesso. Entre em contato com a Afissore e saiba como você pode ajudar: (15) 3211-3697.

www.afissore.org.br

www.facebook.com/AmigosAfissore