13/06/2017 — Texto: Sandro Prezotto | Fotos: Divulgação

Essencialmente um estudioso das diversas áreas que compõem o design de produtos.

Este é Bruno Faucz, o designer catarinense que há mais de 10 anos investe sua criatividade e seus conhecimentos na criação de peça de mobiliário que unem beleza, qualidade e funcionalidade.

Os primeiros contatos com o estudo do design foram em 2005. No mesmo ano, Bruno começou a trabalhar em uma indústria da região onde ele mora, no norte de Santa Catarina, um dos maiores polos moveleiros do Brasil.

“Passei sete anos nesta fábrica, me dividindo entre a engenharia dos produtos, desenhos técnicos, manuais de montagem e efetivamente a criação de novos produtos”.

Em 2013, veio a decisão de abrir seu próprio studio.

“De lá pra cá tenho estabelecido parcerias com excelentes fabricantes no país, buscando levar um trabalho sério, com design consciente que busca entender o mercado e a indústria”.

Bruno recusa o estereótipo do designer criativo, que apenas desenha coisas bonitas e diferentes. “Existe muita racionalidade no meu processo de criação de novos produtos. É uma profissão muito completa que exige muito conhecimento de diversas áreas. Não é possível projetar sem conhecer uma indústria e seus processos. Da mesma maneira, não há como desenvolver um produto se não conheço o consumidor, sua cultura, anseios, etc.”.

O conceito do trabalho de Bruno se norteia por 3 pilares: Mercado, Indústria e Design.

“Isso está relacionado com conhecer o mercado e aplicar o design como uma ferramenta de solução de problemas, ajudando a indústria a oferecer o melhor possível para o seu público-alvo. O que mais me fascina é mesclar universos tão diferentes a fim de desenvolver um produto que entregará resultado para indústria e uma melhor qualidade de vida para as pessoas”.

Em seu extenso portfólio, destaque para as poltronas.

“Já desenhei produtos para toda a casa, mas adoro criar poltronas. Sobre estilos, gosto muito do modernismo brasileiro e do conceito da escola de Bauhaus. Acredito que eles têm uma maior influência sobre o meu trabalho”.

As primeiras peças criadas e que chamaram a atenção do mercado para o trabalho de Bruno Faucz foram as poltronas Cavalera e Canela.

“A Canela, inclusive, entrou para o livro ‘Design Brasileiro de Móveis’, da Editora Olhares, em 2013. Meu trabalho estava há apenas seis meses no mercado quando isso aconteceu”.

Em seguida, a poltrona Cavalera foi convidada a integrar a exposição ‘Find the Perfect Chair’, na Galerie Joseph, em Paris, durante a Semana de Design, em 2014.

“De lá pra cá, muitas peças surgiram e todas elas têm histórias especiais em seu DNA. A poltrona VIP foi destacada com um dos principais produtos na ICFF, em NY, pelo respeitado blog Design Milk. A poltrona Bag participou de uma homenagem ao design brasileiro na EXPO Milano, espaço projetado por Arthur Casas e Marko Brajovic”.

Em suas criações, Bruno tem predileção por uma mescla de materiais, como couro, madeira e metais.

“É desafiador misturar tudo isso em um desenho. A proporção que cada material será utilizado precisa ser feita com muito critério”.

Sobre seu processo criativo, Bruno descreve como um ‘caos organizado’.

“Minha criação funciona o tempo todo. Estou sempre pensando em novos desenhos, observando tudo que está à minha volta para alimentar minha mente. Ando sempre acompanhado de um caderno e uma lapiseira, rascunhando ideias para chegar às melhores soluções. Tudo nasce na mão, depois vou para o computador lapidar as ideias”.

Formado em Design de Mobiliário e pós-graduado em Master Design Internacional, pela Sustentare Escola de Negócios, Bruno acha fundamental a formação para o designer.

“Senão o profissional acaba sendo enquadrado naquele estereótipo: ‘é só um cara que cria coisas diferentes’. É preciso saber diferenciar design de produto com apenas valores estéticos, entender a relação entre mercado e indústria, conhecer noções básicas de ergonomia e ser responsabilidade pelo que está sendo criado”.

“Se eu não posso acordar amanhã, vestir um jaleco e me intitular de médico, por que eu posso fazer isso com o design? Como a fica a responsabilidade de um profissional sobre uma cadeira mal projetada que pode prejudicar a coluna de uma pessoa?”.

Para os próximos projetos, Bruno revela que muitas novidades estão por vir, incluindo um trabalho em parceria com um grande grafiteiro de São Paulo para uma exposição durante a Semana de Design de São Paulo. Vamos aguardar!

www.brunofaucz.com
brunofaucz@gmail.com