22/10/2016 — Texto: Fabio Romele | Fotos: Nacasa & Partners Inc.

O que é um casamento? Um matrimônio… senão um enlace!

Pois foi assim que o arquiteto Hiroshi Nakamura, da NAP Architects, concebeu em 2013 essa capela para casamento em espiral, nos jardins do hotel resort Bella Vista Sakaigahama, em Onomichi, Hiroshima. O belo prédio, que lembra fitas entrelaçadas, está no meio de uma colina com vista panorâmica para o Mar do Japão. Entrelaçando duas escadas em espiral, percebemos um edifício livre, de composição inédita, que arquitetonicamente encarna o ato do casamento de uma forma pura.

Ao juntarem-se as duas escadas em espiral, de modo que uma apoia a outra, produziu-se uma estrutura freestanding. Assim como duas vidas, que passam por voltas e mais voltas antes de unirem-se como uma só, as duas espirais conectam-se perfeitamente na sua cimeira de 15.4m para formar uma única fita. No centro do movimento há uma capela, onde as pessoas que têm apoiado a noiva e o noivo estão esperando. O corredor da capela olha para uma árvore-símbolo existente. O altar está diante da árvore e 80 lugares estão posicionados com vista para o mar, através das árvores.

Normalmente, um edifício é composto por elementos distintos: teto, parede e chão. Aqui, no entanto, as escadas entrelaçadas, atuam como telhados, beirais, paredes e pisos para produzir os espaços do edifício. As escadas mudam de largura de acordo com a localização e função, como no topo, onde o casal se encontra. O exterior do edifício é finalizado em painéis verticais de madeira, pintados de branco e liga de zinco de titânio, um material resistente aos danos causados pela brisa do mar.

O modelo de construção de capelas de casamento tem seguido uma configuração de rota. A noiva caminha pelo corredor com o pai e, depois da cerimônia, o mesmo corredor se torna a via de saída para os noivos. No processo de andar por este caminho, cada passo desperta memórias e emoções. Nesta capela, a cerimônia também toma forma com os noivos subindo as escadas separadamente para, na parte superior, pedir a permissão de Deus para se juntarem como um só e declararem o seu casamento. Os dois, que viveram vidas separadas, em seguida, caminharão de volta para baixo da escada juntos.

O edifício simples é composto apenas de caminhos, ao longo dos quais paisagens de mar, montanhas, céu e ilhas distantes aparecem e desaparecem sucessivamente. Embora seja apenas um pequeno prédio, que se esforçou para acomodar as emoções da noiva e do noivo e os pensamentos dos celebrantes, alargando o corredor para um comprimento total de 160m e ampliando o leque de experiências.