10/03/2017 — Texto Ewerton Vianna | Fotos Elson Yabiku

Aconchegante, compacta, sustentável e perto da natureza.

Estes foram os desejos dos proprietários para esta fabulosa casa, situada em um amplo condomínio residencial na cidade de Itu (SP). Os moradores buscavam ambientes reduzidos e confortáveis, que trouxessem bastante aconchego. Ao projetar a residência, o arquiteto Pablo Lanza apostou em materiais que combinassem com o verde, como tijolos, madeiras de demolição e vidro, ao mesmo tempo em que permitissem o máximo aproveitamento dos recursos naturais disponíveis, segundo conceito de sustentabilidade. Há, aqui, uma forte dicotomia entre o rústico e o moderno, notável ao se percorrer os ambientes.

Logo na fachada, há linhas variadas e a forte presença da madeira. Uma generosa rampa, em pedra arenito vermelho, leva à entrada. Compõem a face frontal, ainda, tijolos aparentes de demolição, esquadrias de madeira e uma elegante porta em pinho de riga. O charmoso pergolado de madeira, em consonância com o telhado de três águas, concede o equilíbrio necessário. Encerra a arquitetura da fachada um elegante forro em madeira canafístula de demolição.

O projeto recorda as convencionais casas de campo, com muitas plantas e a integração lar e natureza. Isto fica ainda mais evidente com o deck em ipê, que circunda a residência e com a pequena horta instalada na área externa, ao lado dos pés de jabuticaba e limão.

Observa-se na casa, também, uma forte vocação para receber. Atendendo ao pedido dos proprietários, que acomodam, com frequência, amigos e familiares, investiu-se bastante no ambiente gourmet, com churrasqueira e fornos à lenha e a gás, circundados por folhas de vidro e cobertos por coifa. Serve à churrasqueira um belíssimo balcão em madeira pequi. À frente, está a mesa reservada para as refeições. Ainda na área externa, os anfitriões optaram por uma banheira de hidromassagem no lugar da piscina. Instalou-se, então, um convidativo e charmoso ofurô, envolto por eucaliptos.

A cozinha é integrada à área gourmet e os dois ambientes são separados apenas por uma porta de madeira com folha tripla. Na cozinha, o revestimento em porcelanato contrasta com a mesa de jantar de madeira. Aqui, chama a atenção o sofisticado ladrilho que acompanha a bancada, quebrando a sobriedade do piso e das paredes. A generosa janela de 5 m de comprimento permite uma boa iluminação durante o dia.

A sala de estar ficou compacta e bastante aconchegante, conforme a vontade do casal. Junto à parede, o painel em pinho de riga abraça a TV de LED. No meio, um fragmento de árvore faz a vez da mesa de centro. A escada de pinho de Riga, com degraus em balanço, leva ao mezanino, onde se adaptou um ateliê voltado ao artesanato e à pintura, dois hobbies da família.

A suíte máster conta com closet e lavabo amplos. O móvel baixo, com gavetão, tem como detalhe a alternância entre madeira ripada e lisa. A janela, com folhas camarão, ostenta uma esquadria de 2 m de altura e duas folhas grandes de vidro – de tão extensa que é, cria-se um vão de 5 m, que se estende por toda a parede.

“Em meio a tanta tecnologia e projetos modernos, optamos, aqui, por voltar às origens, criando ambientes mais aconchegantes”, explica o arquiteto.