Texto: Fabio Romele

De longe, a imagem poderia ser de qualquer aglomeração precária da América Latina, África ou Ásia. Mas não é! Este é o Habitat 67, um conjunto de prédios residenciais, projetados como tese de mestrado pelo arquiteto israelense Moshe Safdie e construído para a exposição mundial de 1967 realizada na cidade de Montreal, no Canadá, obra que rendeu ao seu criador fama internacional e ao Canadá o título de Patrimônio Nacional.

O Habitat 67 é, sem dúvidas, uma edificação muito à frente do seu tempo. Composto por 5 subconjuntos, divididos em 354 blocos de concreto pré-fabricados (medindo 11,7 m × 5,3 m × 3 m), dispostos em diferentes formas e chegando a 12 andares de altura. Juntas, essas unidades podem criar 146 residências de vários tamanhos e configurações, cada uma delas formada de uma a oito unidades concretas vinculadas.

O complexo original continha 158 apartamentos, porém vários deles já foram unidos para criar unidades maiores, o que acabou reduzindo este número total. Cada unidade está ligada a pelo menos um terraço privado, que pode variar entre 20 e 90 m².

O projeto foi desenvolvido para integrar os benefícios das casas suburbanas, utilizando-se de jardins, ar fresco e a privacidade de ambientes, bem como a economia e a densidade de um moderno prédio de apartamentos.