Texto: Francine Trevisan

Arquiteto e urbanista, formado pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, em 1983, Arthur Casas comanda atualmente um dos escritórios mais premiados do Brasil e brinca que foi muito influenciado pelo próprio sobrenome: “Um arquiteto de nascimento”. Mesmo com obras residenciais e comerciais espalhadas pelo mundo – em Tóquio, Paris, Rio, Nova York (onde possui uma filial do escritório) – é em sua cidade natal, São Paulo, que o profissional encontra o principal eixo condutor de seu trabalho. Seu percurso revela influências do modernismo e do brutalismo. Quanto mais caótico o ambiente urbano, mais o profissional investe na sua preferência pela limpeza formal e as cores claras. Pode-se notar a preocupação com o detalhe e com a brasilidade no uso inteligente da madeira, da iluminação natural, e na qualidade do paisagismo, elementos que conferem aconchego e humanização aos seus projetos.

Restaurante Kaá - Foto: Leonardo Finotti

Um dos trabalhos mais premiados do escritório é o restaurante Kaá (cujo nome vem do tupi “folha, mato”). Em uma das mais movimentadas avenidas de São Paulo, quase não se nota a fachada discreta, na testada de um lote estreito e muito comprido. As tímidas paredes voltadas para a rua, apicoadas de branco, escondem um verdadeiro oásis urbano, onde os visitantes são recebidos com um espelho d’água ladeado por um painel vertical composto por mais de sete mil exemplares de plantas tropicais. Para completar a atmosfera, um teto retrátil se movimenta na cobertura situada a sete metros do piso. Os móveis e acabamentos foram escolhidos em tons claros e amadeirados, formando assim um fundo neutro para realçar o brilho e vitalidade dos elementos naturais que lá existem: água, verde e céu. A racionalidade aparece na pontuação ritmada da estrutura metálica, na divisão geométrica dos acabamentos (pisos, luminárias, forros, prateleiras) e até mesmo no tema isométrico do painel fotográfico. O Kaá foi eleito pela revista inglesa Wallpaper como o melhor restaurante novo de 2009 em todo o mundo, mediante um júri com personalidades do calibre de Pedro Almodóvar e John Galliano. Outros prêmios foram: melhor ambiente 2009 Revista Época, melhor projeto 2009 Revista Arquitetura e Construção e Restaurant Design Award 2009 American Institute of Architects.

Restaurante Kaá - Foto: Leonardo Finotti

Mediante o crescente comércio de bebidas pela internet, a loja de vinhos Mistral solicitou ao arquiteto a concepção de um espaço interativo, capaz de prender a atenção do cliente e convidá-lo a entrar. A resposta de sua equipe foi a organização de um espaço claro e sinuoso (como um caminho a ser percorrido), que destaca a disposição das garrafas de vinho. O aspecto futurista é humanizado através do uso da madeira, que reveste a porção superior do pé-direito e aparece também no mobiliário, como nos bancos e na estante lúdica. Iluminação indireta, televisões de tela plana e mesas digitais completam a ambientação original e irretocável.

Loja Mistral - Foto: Fernando Guerra / FG+SG

O estúdio também projeta belas residências. A casa do próprio arquiteto, na cidade do Guarujá (SP), já figurou em diversas publicações de arquitetura contemporânea. Um grande paralelepípedo de concreto e alvenaria, revestido externamente com madeira cumaru certificada, é rasgado por um vão central em pé direito duplo que acomoda as áreas sociais. As altas portas de correr se abrem quase que totalmente, permitindo uma integração fantástica entre interior e exterior, onde a brasileiríssima varanda não é mais um anexo à sala, mas uma continuação dela – com o mesmo nível e mesmos materiais de acabamento. Uma passarela transpassa a área superior das salas  sem nenhum pilar intermediário, formando um poético jogo de linhas verticais e horizontais. Os degraus que elevam a casa parecem ter inspiração na célebre residência Farnsworth de Mies Van de Rohe, mesmo autor da frase “Less is More”. Esta casa pode ser considerada um lindo exemplo da aplicação deste conceito, adaptada ao vocabulário e aos costumes brasileiros. Recebeu merecidamente o primeiro prêmio na categoria residencial praia da Revista Arquitetura e Construção em 2008.

Casa Iporanga, no Guarujá - Foto: Tuca Reinés

Com seu trabalho, Arthur Casas difundiu uma mistura de estilos onde tudo é equilíbrio. Prefere utilizar tons claros e amadeirados, pois acredita que a rotina da rua já possui muitas cores. Através desta reflexão adotou uma linha de pensamento leve e descomplicada, conseguindo como ninguém utilizar os clássicos dentro da modernidade, criando uma atmosfera urbana com aconchego. Possuindo a arquitetura no próprio nome, encontrou inspiração para transformar linhas retas e precisas na expressão da sua identidade.

Studio Arthur Casas
www.arthurcasas.com