13/04/2017 — Texto: Sandro Prezotto | Fotos: Rui Antunes

Nessa residência todos os ambientes oferecem um contato com os jardins, pois a casa é permeada por eles.

No projeto de interiores e paisagismo desta residência, localizada em um condomínio de Sorocaba (SP), a arquiteta Maria Luiza Aceituno buscou criar ambientes que ofereçam sossego e bem-estar aos seus clientes, um jovem casal de empresários, sem filhos, que trabalham bastante e fazem questão de desfrutar de conforto e lazer na própria casa.

Em sua totalidade, desde a porta de entrada até o espaço gourmet, a casa conta com uma circulação muito fluida entre os ambientes. “Esta foi uma solicitação específica dos proprietários, que valorizam ao máximo este conceito de integração”. Maria Luiza conta que seu principal foco foi em relação à área externa.

“Todos os espaços contaram com belos projetos paisagísticos. Mesmo na parte interna da residência, todos os ambientes oferecem um contato com os jardins, pois a casa é permeada por eles. Com a ajuda do projeto de iluminação, também conseguimos transformar cada cenário à noite.”, explicou Maria Luiza.

“O projeto de luminotécnica foi elaborado pelo nosso escritório visando criar efeitos cênicos, valorizando detalhes arquitetônicos importantes. Houve também o cuidado em utilizar, sempre que possível, lâmpadas de baixo consumo de energia”, destacou a arquiteta.

No espaço gourmet, especificamente, as sugestões de estilo e acabamentos partiram do proprietário, que solicitou materiais mais rústicos e que convidassem ao lazer. “Por isso, optamos por utilizar a madeira de demolição, tijolos aparentes no fogão a lenha e pastilhas de cerâmica natural. Como todos os espaços se integram visualmente, a solução encontrada traduziu seu desejo e ainda se harmonizou com o restante da casa”.

Os acabamentos escolhidos para cada ambiente também podem ser apontados como responsáveis por promover a sensação desejada de aconchego e conforto. Na sala de estar, esse efeito foi conseguido com a escada em mármore crema marfil, painéis em madeira e o papel de parede de mica.

Na cozinha, o palissandro em alto brilho harmonizou com muita elegância com o granito, a laca e o vidro preto. O SPA recebeu mármore travertino romano bruto no piso e na escada, além de revestimento madeira vechia e a lareira a gás em madeira de demolição. A cobertura em vidro e estrutura metálica permite que o espaço seja utilizado durante o ano todo, sob qualquer condição climática.

Para o Jardim italiano, a arquiteta escolheu a cerâmica natural Lepri para o piso e a parede, com detalhes em mármore travertino romano bruto. O charme ficou por conta da ponte, construída em madeira natural.

Em relação ao paisagismo, Maria Luiza conta que os jardins receberam tematização própria para diferenciá-los.

“Quase todos contam com uma vegetação bem tropical, exceto o Jardim Italiano, onde a vegetação escolhida tem fortes características em referência à região da Toscana”, finalizou.